«

»

mar 15 2014

A DEMOCRACIA ESTÁ MORRENDO NO MUNDO

RENATO RIELLA

No mês em que o Brasil debate os 50 anos da última ditadura, ninguém percebeu que a democracia, como regime e como estilo de vida, acabou. A vontade da maioria tem sido fator de crise em muitos países.

O pior é que a humanidade não conseguiu evoluir para outro modelo – nem está discutindo isso.

Vemos hoje em muitos nações a população dividida, com sangue. Blocos relativamente equivalentes enfrentam-se sem trégua. É o caso da Venezuela, da Síria, do Egito, da Crimeia, da Ucrânia e de muitas outras nações.

No caso do Egito, por exemplo, os muçulmanos poderão eleger um novo governo, se houver eleição. E aí haverá guerra civil. Na Venezuela, também, o voto divide a população de forma sangrenta, sem que surja um poder moderador.

A Síria, em guerra civil, nunca terá paz, mesmo que haja a tentativa de se implantar um regime dito democrático, com eleições. Isso porque o ódio divide a sociedade de forma assustadora. Vejam só o Iraque, onde a toda hora morrem 30, 50, 100 pessoas em atentados urbanos.

Na Argentina, a presença de Cristina Kirchner na presidência é a prova de que o regime democrático faliu. Valendo-se de expedientes populistas baixos, ela conseguiu herdar o poder oriundo do marido e está levando o país para o buraco.

O fundamento único da democracia é o voto, a vontade da maioria. Mas o que fazer se a maioria for apenas de 51% e estiver gritantemente errada?

Vamos viver situação semelhante no Brasil, este ano. A presidente Dilma Rousseff tem tudo para vencer a eleição presidencial em primeiro turno, valendo-se da maioria de votos nas classes mais dependentes do governo. E como fica a outra metade do país, de consciência política mais elevada e maior visão crítica da realidade?

Não temos respostas. Há 200 anos, mais de 600 mil americanos morreram para que um regime democrático exemplar fosse implantado, influenciando outras nações ocidentais.

Vemos, no entanto, que mesmo nos Estados Unidos consolida-se uma luta de classes que em algum momento poderá assustar o mundo.

A democracia já acabou. Não existe maioria se o país estiver dividido em duas forças semelhantes. E se essas duas forças forem conflitantes, como dividir a nação ao meio? Não existe maioria, também, se uma minoria estiver sendo sacrificada, disposta a morrer para defender seus direitos.

Na Ucrânia, a Rússia tenta fazer um regime na raça, desmembrando a Crimeia. Certamente vai gerar graves conflitos internos e talvez externos.

O mundo, sem respostas, vê a democracia se esvair em todos os continentes. E as eleições ocorrem a cada momento com maior ausência de público nas urnas.

O Brasil, que comemora a redemocratização do país, ocorrida há 30 anos, pergunta-se: que democracia é esta que aprofundou a concentração de renda e gerou privilégios cada vez maiores?

Que democracia é esta, na qual o Poder Executivo consegue dominar as votações no Supremo Tribunal Federal?

Como exercer os preceitos democráticos se um projeto de lei dispensável e polêmico (Lei Geral da Internet) tranca a pauta da Câmara Federal desde o ano passado? Este projeto foi enviado pelo governo, maquiavelicamente, em regime de urgência, para travar o Congresso em ano eleitoral.

A Venezuela é o grande laboratório da democracia em crise. Qualquer dos lados que ficar no poder vai inviabilizar esse país. E o que o mundo pode fazer? Como deixar um país tão forte se esvair?

Deve haver algum grupo de sábios disponível para discutir uma nova democracia.

O modelo brasileiro tem, pelo menos, um fundamento nobre: aqui a liberdade de expressão e de manifestação ainda é total. Mas até quando?

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

1 comentário

  1. Wílon Wander Lopes

    oLÁ, rIELLA,
    PERMITA QUE EU DISCORDE DO SEU ARTIGO, BEM NA VÉSPERA DO SEU ANIVERSÁRIO… RSRS
    nÃO É A DEMOCRACIA QUE ESTÁ MORRENDO, AMIGO. é O SER HUMANO QUE ESTÁ EM CRISE!
    dIZEM ALGUNS QUE POR FALTA DE ESPAÇO PARA CONVIVER (VEJA OS ENGARRAFAMENTOS, VEJA O ESPAÇO INDIGNO EM QUE MORA A MAIORIA DAS FAMÍLIAS, INSUFICIENTE PARA UMA SÓ PESSOA HABITAR). hÁ QUEM DIGA QUE É A FALTA DE VALORES – OU A DEFORMAÇÃO DELES. o QUE VOCÊ ACHA?
    dE QUALQUER FORMA, rIELLA, É A GUERRA QUE, ANTIGAMENTE, RESOLVIA ISSO. aÍ, CANSADOS DE TANTA IGNORÂNCIA, OS SÁBIOS INVENTARAM A POLÍTICA. e A FORMA MAIS DIGNA É A DEMOCRACIA.
    pOR ISSO, DEFENDA A DEMOCRACIA, QUE, NO bRASIL, DEPOIS DOS DESENCONTROS DA DITADURA, ONDE, POR SUPOSTO NACIONALISMO, DE PARTE A PARTE, ATÉ TORTURA E SEQUESTROS HOUVE, ESTÁ SENDO IMPLANTADA, POUCO A POUCO POR NÓS, SOBREVIVENTES. sIM, SOMOS SOBREVIVENTES…
    A DEMOCRACIA QUE O bRASIL PRATICA É FRUTO DO TRABALHO DE TANTOS DE NÓS, EU E VOCê, INCLUSIVE. ALGUNS MORRERAM POR ELA, CASO DE hONESTINO, mÁRIO cOVAS, uLYSSES, jk E…
    dE QUALQUER FORMA, AMIGO, É SOLUÇÃO HUMANA, DE SERES QUE NÃO SABEM ONDE ESTÃO, NEM DE ONDE VIERAM, NEM PARA ONDE VÃO E, COM ARROGÂNCIA, QUEREM DOMINAR O QUE DESCONHECEM…
    a SOLUÇÃO? cRISTO JÁ NOS DEU, COMO LÍDER POLÍTICO (E NÃO FALO AQUI EM RELIGIÃO, OUTRA CRIAÇÃO HUMANA QUE SE DEFORMOU COM A LUTA PELO PODER): “aMAI AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO!” oU SEJA, A SOLUÇÃO, COMO AGORA GRITAM AQUELES SERTANEJOS: ‘é O AMoooooOR!!!
    e NÃO É SÓ PARA HOMENS, MAS PARA TODOS OS SERES VIVENTES. sE DUVIDA, EXPERIMENTE COM O SEU CÃO, ATÉ COM O SEU LEÃO (TEM FILMES NA iNTERNET MOSTRANDO ISSO).
    fORA ISSO, É A GUERRA… QUE TRAZ A MORTE… QUE TRAZ O DESESPERO… QUE TRAZ A BUSCA DA PAZ… QUE SÓ A POLÍTICA CONSEGUE. e QUANDO ELA FALHA, VEM A GUERRA. e AÍ VEM A MORTE…
    aSSIM, PELO AMOR DE dEUS, NÃO DESTRATE A DEMOCRACIA, ESTA FLOR TÃO TENRA QUE ESTAMOS PRATICANDO. pARA ELA VICEJAR, PRECISA DE TOLERÂNCIA, CARINHO, TRABALHO… E AMOR!
    fELIZ ANIVERSÁRIO. dEUS TE DÊ PACIÊNCIA e SAÚDE PARA ENTENDER TANTA COISA QUE TE MAGOA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*