«

»

dez 29 2020

Bolsonaro questiona tortura sofrida por Dilma Rousseff; FHC, Lula e Maia defendem petista

O presidente Jair Bolsonaro questionou a veracidade da tortura à qual a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foi submetida durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985).

Em conversa com apoiadores onrem (28), Bolsonaro ironizou os relatos de Dilma sobre o período em que foi presa, em 1970. O atual chefe do Planalto disse que aguardava um raio-X da ex-presidente para provar que ela teve a mandíbula fraturada.

“Dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio-X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio-X”, afirmou.

A declaração motivou reação de outros ex-presidentes. Nas redes sociais, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Lula (PT), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) e outros parlamentares manifestaram apoio a Dilma.

FHC expressou solidariedade à ex-presidente e afirmou que “brincar com a tortura dela –ou de qualquer outra pessoa– é inaceitável”. Disse ainda que a atitude de Jair Bolsonaro “passa dos limites”.

Em sua postagem, Lula criticou a fala do atual chefe do Planalto e disse que “o Brasil perde um pouco de sua humanidade a cada vez que Jair Bolsonaro abre a boca”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, saiu em defesa da ex-presidente em suas redes sociais: “Bolsonaro não tem dimensão humana. Tortura é debochar da dor do outro. Falo isso porque sou filho de um ex-exilado e torturado pela ditadura. Minha solidariedade a ex-presidente Dilma. Tenho diferenças com a ex-presidente, mas tenho a dimensão do respeito e da dignidade humana.”

Candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB-SP) publicou hoje nas redes sociais uma mensagem de solidariedade a Dilma Rousseff (PT). “Não é sobre esquerda, centro ou direta. É sobre a dignidade humana, é disso que se trata. Nossa solidariedade à ex-presidente Dilma Rousseff. Tortura nunca mais”.

Em nota, Dilma Rousseff afirma que Bolsonaro tem uma “índole de torturador” e que seu comportamento revela falta de empatia por seres humanos.

“A cada manifestação pública como esta, Bolsonaro se revela exatamente como é: um indivíduo que não sente qualquer empatia por seres humanos, a não ser aqueles que utiliza para seus propósitos. Bolsonaro não respeita a vida, é defensor da tortura e dos torturadores, é insensível diante da morte e da doença, como tem demonstrado em face dos quase 200 mil mortos causados pela covid-19 que, aliás, se recusa a combater. A visão de mundo fascista está evidente na celebração da violência, na defesa da ditadura militar e da destruição dos que a ela se opuseram”, escreveu.

Com informações de agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*