«

»

set 27 2013

BRASIL TEM SOMENTE UM PROBLEMA: A POLÍTICA

RENATO RIELLA

O Brasil vive uma triste realidade política. Como as manifestações de rua desapareceram, não se sabe como o povo vai reagir um dia, diante de tanto desalento.

O problema mais grave do país não é a economia, nem a violência, nem a fome (hoje minimizada).

O problema mais grave é a existência, por enquanto, de 32 partidos dominados por pessoas que não têm compromisso com o bem.

Nenhum partido tem proposta clara. O eleitor vai chegar às urnas, em 5 de outubro de 2014, mais do que nunca votando em branco ou escolhendo candidatos de forma aleatória.

A ex-senadora Marina Silva, que seria uma proposta de novidade com o seu partido Rede, quase certamente não conseguirá registrar a agremiação.

E aí vai uma avaliação crítica: se Marina não teve nem tem estrutura, nem liderança, nem pique para registrar um partido, como conseguiria disputar uma eleição milionária?

Será que o povo vai acordar antes da eleição? Não houve reforma política, nem reforma partidária, nem mesmo uma mini-reforma eleitoral.

Os cargos eletivos serão disputados pelas mesmas pessoas de sempre, sem que homens e mulheres de valor tenham acesso a partidos dominados por figuras que, muitas vezes, nem disputam eleição (ou, quando disputam, obtêm poucos votos).

O processo político brasileiro é porta fechada para quem pensa num Brasil melhor. Os eleitos vão lutar pelo Brasil de sempre – a favor dos seus interesses.

Mas por que o país progride? Antigamente, dizia-se que o Brasil progride à noite, quando os governos estão dormindo. Provavelmente essa sabedoria ainda está válida. Vamos botar esse povo todo pra dormir?

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*