«

»

mar 30 2014

BRASÍLIA, AOS 54 ANOS, ESTÁ ACEITANDO ARRUDA DE VOLTA

RENATO RIELLA
José Roberto Arruda está prestes a atingir a faixa de 30% nas pesquisas eleitorais, segundo os últimos estudos que vi. Esta situação vai se consolidar à medida que o apoio de Joaquim Roriz chegar ao conhecimento do povão.

Pode ser dito tecnicamente que a presença de Arruda no segundo turno da eleição de governador está praticamente assegurada. Isso se o voo eleitoral não for interrompido por alguma condenação em segunda instância na Justiça do DF – o que é possível.

Lembrei, de repente, que Brasília vai fazer 54 anos em 21 de abril. Não é mais uma cidade adolescente. Pelo contrário! Atinge a faixa da meia idade, quando deve ser responsável pelos seus atos.

Vejo, com perplexidade, que pelo menos 30% dos eleitores do Distrito Federal aceitam a volta de José Roberto Arruda. E os demais estão praticamente calados sobre isso. Destemido, o pré-candidato a governador pelo PR usa linguagem perigosa e desafiadora, classificando as decisões da Justiça como “tapetão”.

Aprendi que a sociedade é soberana nos seus erros e acertos. Como jornalista experiente, nunca brigo com a notícia. Portanto, passo neste momento a ser apenas observador dessa realidade preocupante. Voltarei a tratar do tema apenas se houver fato relevante no mundo da Justiça.

Destaco que Agnelo Queiroz perdeu mais da metade do governo envolvido em processos do Ministério do Esporte e da Anvisa. Foi um inferno a sua administração!

Se Arruda for eleito, viveremos essa situação em escala ampliada, pois o ex-governador responde a um número muito maior de processos.

Como governador, se eleito, Arruda verá seus processos “subirem” da Justiça Comum para o Superior Tribunal de Justiça, pois ele passará a ter o chamado foro privilegiado.

O foro privilegiado parece ser favorável, mas Zé Dirceu, Genoíno e seus parceiros viram que não é tanto assim, tendo em vista que os processos correm mais rápido – e as condenações também.

No entanto, quando Arruda perceber que pode ser condenado de forma perigosa no STJ, bastará a ele fazer como o ex-governador de Minas, Eduardo Azeredo, acaba de fazer. Renunciando ao mandato de governador, os processos voltam à Justiça Comum e o acusado passa a ganhar mais alguns anos antes do julgamento.

É tudo muito complicado neste Brasil da impunidade. Mas não podemos esquecer que o ex-assessor do Senado José Carlos Alves dos Santos acaba de ser julgado e preso, 21 anos depois dos crimes praticados.

Dito tudo isso, devemos nos preparar para seis meses de muita tensão no DF, numa eleição dura como nunca se viu.

Nesse momento, fico na minha e digo a velha frase: quero ver o oceano pegar fogo para comer peixe frito de graça.

Boa sorte para todos os brasilienses!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

3 comentários

  1. Marvin Comen

    Como cidadão preciso da versão do Arruda, para toda a situação ocorrida na época do seu governo. O Agnelo responde hoje com propagandas institucionais, usa o espaço para tal e de forma inútil. Nesse país da Impunidade, a verdade se esconde sobre Golpes que manipulam através dos meios de comunicação a opinião pública, eu me recuso a isso.
    No governo do Arruda vi claramente esta cidade realmente evoluir, hoje me entristece a involução…

  2. Wílon Wander Lopes

    Olá, Riella,
    Que bom que você volta a analisar a política do DF pelos fatos, pelos números, não pela sua raiva do Arruda – que pode até ser justa, mas que não pode contaminar o jornalista acreditado que você é, especialmente quando faz análise de um contexto político.
    Aqui na periferia, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, vicente pires e até Águas Claras (que é tida como de uma população com melhor poder aquisitivo e mais informação, dizem que são os fugidos do Plano Piloto rsrsrs), a gente percebe que é bem maior a aceitação de Arruda, visto como vítima mais uma vez. Já deu certo, está dando certo outra vez…
    É o fato, são os números. E tem muita emoção (fator básico para o voto) que eu diria represada por trás disso – a favor de Arruda e de Roriz. Juntos, que se cuide o PT, que cada vez mais alimenta o poder de seu fogo amigo, tão incitado pelos seus radicais.
    E quando o peixe estiver frito, como você disse no final de sua nota, me convide. Gosto de bater papo com gente inteligente, que sabe voltar atrás quando os fatos falam mais alto do que sua opinião emocionada . Levo a cerveja e um queijo, mineiro besta que sou.

    1. EDNEWTON VIANA

      meu prezadojornalista, dr. willon,
      quero lhe cumprimentar pela clareza do seu texto e pelo segundo puxão de orelhas no nosso amigo jornalista riella.
      permita-me, responder ao jornalista riella (agora sim escrevo o seu nome certo), com o seu brilhante texo. apenas acrescento que ue finalmente o riella tá caindo na real, não chamou o Arruda de famigerado, e abriu as pernas.
      parabéns e rumbora que brasília tem pressa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*