«

»

jan 14 2020

Consumo de carne bovina cai ao menor nível da década na Argentina

Resultado de imagem para carnes argentinas

O consumo de carne bovina na Argentina caiu em 2019 para o nível mais baixo da década, uma consequência direta da perda do poder aquisitivo provocada pela crise econômica que abala o país desde abril de 2018.

O tradicional churrasco dos domingos ganhou uma versão mais magra e econômica. A carne bovina já não detém a exclusividade e divide as “parrillas” com porco, frango e até legumes assados.

A queda no consumo foi de 9,5%, ficando em 51,3 quilos por pessoa em 2019, segundo o presidente da Câmara de Indústria e Comércio de Carnes e Derivados da Argentina (Ciccra), Miguel Schiariti.

“Há um só motivo para explicar por que isso ocorreu e é a perda do poder aquisitivo do salário. A macroeconomia entrou no bolso das pessoas e elas consumiram menos”, lamentou o empresário em entrevista concedida à Agência Efe.

O preços da carne, porém, subiram mais do que a inflação, fechando o ano em alta de 60%, percentual maior que os 55% previstos para o índice de preços, ainda não calculado no acumulado de 2019.

A venda da carne vermelha caiu ao nível mais baixo desde 2011, um resultado pior que a cesta de alimentos e bebidas normalmente consumida pelos argentinos, que teve queda de 8%. O resultado só não foi pior que o do setor de laticínios, que recuou 12%.

“A queda do consumo de carne vermelha vem ocorrendo há pelo menos 20 anos. Ela vem sendo substituída por porco ou frango de maneira muito significativa”, explicou Schiariti.

Há 30 anos, o argentino consumia por ano cerca de 90 quilos de carne bovina, 8 quilos de frango e quatro quilos de porco. Agora, os números são bem diferentes. A carne de frango já ocupa quase o mesmo espaço que a vermelha na mesa dos consumidores – 46 quilos x 51,3 quilos. Já a suína subiu para 17 quilos anuais em média.

Parte da mudança tem relação, segundo o presidente da Ciccra, com a queda dos preços da carne de frango e de porco. Alimentos congelados e já preparados também caíram no gosto da população.

Ainda que a queda do consumo de carne vermelha siga caindo a passos largos, o argentino segue ingerindo mais do que o dobro de proteína animal bovina recomendado por nutricionistas.

A Guia Alimentar para a População Argentina recomenda consumir uma porção de 150 gramas de carne bovina três vezes por semana, o que daria 23,4 quilos anuais, menos da metade do consumo atual.

Com informações de EFE

Foto: Sociedade da carne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*