«

»

set 22 2017

CONTRATEI O POETA REYNALDO JARDIM A CONTRAGOSTO, MAS ELE DEU GRANDE RESULTADO

O poeta Reynaldo Jardim será destacado em sarau, na Banquinha da Conceição (308 Sul), na tarde de amanhã, sábado. Vendo isso, lembrei de uma história incrível dele.

Em 1990, fui coordenador geral da campanha eleitoral de Joaquim Roriz, trabalhando com uma equipe fantástica. Meu braço direito era o jornalista Fernando Lemos, supercriativo – mas sonhador.

Fernando insistiu muito para que a gente contratasse Reynaldo Jardim para dar idéias. A campanha já tinha o famoso Washington Novaes como editor dos vídeos da propaganda eleitoral.

A contragosto, aceitei pagar 1.500 dólares por mês a Reynaldo, que passava no comitê de campanha todas as tardes e praticamente não tinha função, em meio àquela loucura.

Um dia, encontrei na minha máquina de escrever um bilhete do poeta. Achei estranho, pois ele praticamente só lidava com Fernando Lemos, mas resolveu se dirigir a mim. Dizia o bilhete:

“SUGESTÃO – Podemos definir 50 metas impactantes para o candidato Joaquim Roriz. Feito isso, levamos ele a um cartório e registramos essas metas como compromisso de governo. Certamente esta ação vai ter muito efeito junto ao eleitorado”.

Chamei Fernando Lemos e Washington Novaes para uma reunião. Chegamos à conclusão que a proposta de Reynaldo Jardim era genial. Dois dias depois, num domingo, passei o dia trancado na minha casa da QI 17 do Lago Sul, com os amigos Fernando e Washington, redigindo os 50 compromissos.

Lembro que, de tarde, ainda faltavam três. Liguei para o secretário de Saúde, Jofran Frejat, que completou a lista de 50 metas a serem cumpridas.

No início da semana, levei Roriz, acompanhado de toda a imprensa do DF, a um cartório no Setor Comercial Sul. Lá ele assinou solenemente o documento contendo os “50 Compromissos do Roriz”.

Com isso, ganhamos a eleição de forma espetacular. Quatro anos depois, ao fim do governo, chequei o cumprimento das 50 metas. Foram 35 propostas cumpridas integralmente (inclusive o Metrô), dez cumpridas parcialmente e cinco abandonadas por falta de viabilidade.

Assim, lembro de Reynaldo Jardim como o gênio que deu apenas uma idéia na campanha – mas que idéia!

Fernando Lemos tinha razão quando me obrigou a contratar um poeta. (RENATO RIELLA)

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*