«

»

nov 07 2018

Democratas recuperam a Câmara de Representantes; Trump enfraquece

Elecciones EEUU 2018

O Partido Democrata recuperou ontem (6) o controle da Câmara de Representantes (deputados) dos Estados Unidos, após oito anos de maioria republicana, e deixou o presidente Donald Trump enfraquecido no que resta do seu mandato. Não conseguiu, porém, impor-lhe um golpe letal, que seria a vitória também no Senado, que permaneceu nas mãos dos conservadores.

Com isso, ficam ameaçados sonhos de trumpistas, como liquidar a reforma sanitária de Barack Obama e levantar um muro com o México para frear a imigração. O descontentamento com o presidente, um dos governantes mais impopulares e divisores da história recente, mobilizou o eleitorado progressista, num pleito legislativo marcado pela alta participação e pelo reflexo de um novo tempo. Os norte-americanos escolheram um Congresso com mais mulheres e mais diversidade racial e religiosa que nunca.

Os democratas poderão bloquear a aprovação de leis, já que elas exigem o aval de ambas as partes do Capitólio, e impulsionar seus próprios projetos legislativos, que no entanto tenderão a esbarrar também no muro republicano do Senado. A oposição a Trump dispõe ainda dos votos necessários para iniciar investigações sobre o presidente e seus negócios, e inclusive promover um processo de impeachment – que dificilmente prosperaria, pois precisaria de dois terços dos votos dos senadores.

A chamada onda azul, cor identificada com o partido de Barack Obama e Hillary Clinton, chegou sem força suficiente para levar a Câmara Alta, uma empreitada extremamente difícil, porque estavam em jogo apenas 35 das 100 cadeiras, sendo que 26 delas já eram democratas. Na verdade, os conservadores consolidaram sua maioria no Senado, mantendo-se com pelo menos 51 senadores.

Uma vez mais, o voto rural tendeu a favorecer os republicanos, enquanto as zonas urbanas e suburbanas penderam para os democratas. Mas, para estes últimos, o triunfo na Câmara de Representantes, onde já alcançaram a maioria de 218 assentos, emite sinais animadores: conquistaram distritos onde não eram favoritos em Nova York, Texas, Illinois e Virgínia. E, na batalha pelos Governos estaduais, obtiveram vitórias importantes em Michigan e Winsconsin, zonas do cinturão industrial que em 2016 abraçaram o magnata.

Foi também uma boa noite para o movimento feminista, fortalecido pela onda MeToo de protesto contra o assédio sexual, diante de um presidente acusado de abusos por várias mulheres e que se caracterizou por seus frequentes comentários sexistas. De acordo com os resultados disponíveis no começo da madrugada, o Capitólio terá a maior bancada feminina da sua história.

Muitas outras barreiras invisíveis foram rompidas nesta terça-feira. O Colorado elegeu o primeiro governador abertamente homossexual do país, Jared Polis; Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York, tornou-se, aos 29 anos, a mulher mais jovem já escolhida para a Câmara de Representantes; e a vitória de Rashida Tlaib em Michigan significa a chegada do primeiro muçulmano ao Congresso.

Com informações de El País

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*