«

»

mar 23 2013

Em 2014, Dilma só perde para ela mesmo

RENATO RIELLA

Escrevi no início da semana, neste BLOG, um comentário temerário, afirmando que Dilma Rousseff ganha a eleição no primeiro turno em 2014. Hoje afirmo que ela só perde para ela mesmo.

Quatro dias depois da minha análise imprudente, saíram duas pesquisas nacionais (Datafolha e Ibope) reforçando este entendimento. Colocada diante de possíveis concorrentes, as pesquisas mostram que ela tem potencial de votos de 70%. E mais: na pesquisa espontânea, na qual não é citado nenhum candidato, 35% dos brasileiros já dizem que votam em Dilma.

Os concorrentes apresentados na pesquisa não são fracos.

Aécio Neves, do PSDB, é jovem, galã e tem praticamente o estado de Minas Gerais nas mãos.

Eduardo Campos, do PSB, é jovem, tem incríveis olhos verdes (dizem herdados de Chico Buarque) e mantém o estado de Pernambuco nas mãos.

Marina Silva, ainda sem partido, adquiriu patrimônio eleitoral na eleição de 2010 e pode surpreender.

Até o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, foi testado em pesquisa como candidato a presidente da República.

Já expliquei que Dilma, nas condições atuais, é imbatível. É claro que pode perder a eleição se ocorrer algum fato absurdamente grave, que abale a sua imagem. Mas não há nada tão impactante que possamos prever.

Quanto às condições da economia, a presidente conta com reservas externas na casa dos US$ 400 bilhões, que podem ser queimadas aos poucos para garantir a reeleição. Quem quiser que proteste, mas Dilma só perde se errar muito, ou se fizer alguma grande besteira, como Ciro Gomes em 2006, quando disse que o único papel de Patrícia Pilar na eleição era dormir com ele.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*