«

»

out 19 2016

FRAGILIDADE DO GOVERNO ROLLEMBERG NA CÂMARA DO DF É GRITANTE. O QUE FAZER?

É preocupante o isolamento político do governador Rodrigo Rollemberg. Não vemos no Palácio do Buriti a criação de pontes para dialogar com áreas diversas da sociedade.

Falta acesso e credibilidade à equipe do governo. No fim, o governador se desgasta pessoalmente, como aconteceu esta semana quando a segurança barrou no Palácio o acesso do deputado federal Laerte Bessa, que baixou o nível como nunca se viu na política brasiliense.

A novidade ruim é que a Câmara Legislativa derrubou o decreto de Rollemberg contra as greves.

A CLDF aprovou, com 17 votos favoráveis e sete ausências, dois decretos legislativos (195 e 196/2016), de vários deputados, que sustam os efeitos do decreto n° 37.692, do governo local.

O decreto do GDF estabelecia medidas que restringiam o direito de greve dos servidores públicos locais, como corte de ponto e processo administrativo.

Nas galerias da Câmara Legislativa, representantes de sindicatos de servidores do DF, como do Sinpro e Sindireta, comemoraram a votação e aplaudiram as manifestações dos deputados distritais sobre a relevância de aprovação dos dois projetos, com teores idênticos.

Nenhum parlamentar defendeu em plenário a manutenção da vigência do polêmico decreto do governador.

Enfático nas críticas contra o decreto “exorbitante”, o deputado Raimundo Ribeiro (PPS), um dos autores das proposições aprovadas, disse que o governador Rollemberg deveria “agradecer aos deputados distritais por terem corrigido mais uma besteira que ele fez”.

Também o distrital Chico Vigilante (PT) utilizou o mesmo argumento de Ribeiro para lembrar que o governador teria desrespeitado o direito de greve e de livre organização dos servidores públicos.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

1 comentário

  1. Vanessa Gomes

    De duas uma, ou Rollemberg é mal assessorado, ou foi uma armação para elevar o nome dos deputados com o desgaste ocorrido nesses últimos dias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*