«

»

dez 18 2014

GRAÇAS A DEUS NENHUM FILHO MEU É JUIZ

RENATO RIELLA

Grandes nomes da Justiça precisam tomar cuidado com o apodrecimento da imagem do juiz no Brasil, que anda mais vilanizada do que a dos antigos juízes de futebol.

Não basta a postura antiga, vergonhosa, das capas que eles vestem nos julgamentos, ridículas num mundo de sentido prático intenso.

Pior do que isso, vemos nos últimos tempos cenas de orgulho infantil interpretadas por indivíduos que se dizem juízes, mas não têm juízo.

No final, com toda a dignidade que tentam representar, são desmoralizados nas redes sociais, com seus rostos espalhados por todos os buracos do Brasil, como babacas que são. E não conseguem processar nem prender todo mundo… Acabam ficando sem poder andar nas ruas, vilões que se deixaram ser.

Carteirada é uma atitude indecente, que a sociedade atual não aceita. Agentes públicos ou privados vão acabar se organizando para reagir. Poderemos ter juízes linchados, dentro de pouco tempo, se desacatarem pessoas que exercem outras funções da mesma importância, como vêm fazendo.

Juristas experientes precisam discutir essa questão de quebra de imagem. Hoje eu teria vergonha se um filho meu fosse juiz. E temeria pela sua integridade física. Isso por causa de alguns poucos profissionais sem escrúpulo, que no entanto são beneficiados pelo corporativismo.

Acabam pagando apenas a pena do Facebook.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*