«

»

set 15 2020

Israel, Bahrein e Emirados Árabes assinam acordo diplomático em Washington

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, assinou hoje (15) um acordo histórico de normalização das relações com os Emirados Árabes Unidos (EAU) e Bahrein, com a mediação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em uma cerimônia em Washington, os documentos foram firmados em três vias, nos idiomas inglês, hebraico e árabe, na presença também dos ministros das Relações Exteriores dos Emirados Árabes, Sheikh Abdullah bin Zayed al-Nahyan, e do Bahrein, Abdullatif Al Zayani.

Durante seu discurso, Trump, que considera o acordo uma conquista em sua política externa e um impulso para sua campanha à reeleição à Casa Branca, disse que outras nações árabes vão fechar tratados parecidos.

Já Netanyahu agradeceu e elogiou o republicano por sua “mediação” e por ter “enfrentado com bravura os tiranos do Irã”. “Um dia histórico, um novo amanhecer de paz”, definiu.

Segundo o israelense, o tratado também pode ser expandido para outros países árabes. “Vocês ouviram do presidente [Trump] que ele está alinhando com mais e mais países. Isso era inimaginável há uns anos”.

O ministro das Relações Exteriores dos EAU, por sua vez, aproveitou seu pronunciamento para citar a interrupção da anexação de territórios palestinos.

Em agosto, Israel e EAU já haviam concordado em normalizar as relações bilaterais. Quase um mês depois, o rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, anunciou oficialmente um tratado semelhante durante um telefonema com Trump e Netanyahu.

Além dos acordos bilaterais, os três países também assinara um tratado trilateral, batizado de “Acordos de Abraão”, em homenagem ao patriarca das três principais religiões monoteístas do mundo.

Centenas de manifestantes protestaram na Cisjordânia ocupada e na Faixa de Gaza contra os acordos assinados pelos Emirados Árabes Unidos e Bahrein com Israel.

Os palestinos consideram a iniciativa uma “traição” à sua causa.

Usando máscaras de proteção contra o novo coronavírus, a multidão se reúne nas cidades de Nablus e Hebron, no norte e no sul da Cisjordânia, e na Cidade de Gaza.

Diversas frases como “Não à normalização com o ocupante israelense”, “Os acordos da vergonha” e “Traição” podem ser lidas em alguns cartazes.

No momento em que Netanyahu participava da cerimônia nos EUA para assinar o acordo diplomático com EAU e Bahrein, diversos alarmes de sistemas antimísseis dispararam em áreas israelenses.

Segundo o porta-voz do Exército de Israel, as sirenes tocaram ao norte da Faixa de Gaza e nas cidades de Ashdod e Ashkelon, onde foram ouvidas algumas explosões.

Ao todo, dois mísseis foram lançados, sendo que um deles foi interceptado pelo Iron Dome, sistema de defesa antimísseis de Israel. Até o momento, de acordo com a imprensa local, pelo menos duas pessoas foram atingidas por estilhaços de vidro e ficaram levemente feridas.

Com informações de Ansa/Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*