«

»

mar 18 2015

POESIA: MARÇO, MÊS PISCIANO

Eu distingo uma pessoa de Peixes
por pura sensibilidade,
por instinto,
de relance,
como percebo a inacreditável influência gótica
numa casa de veraneio.

Detecto um ser de Peixes

pelo olhar ou pelo andar,
pela ausência
ou pela consciência
(pelo cheiro, não,
que assim já seria demais).

Eu conheço uma pessoa de Peixes
pelas ideias ou pelas meias,
pelos sins ou pelos nãos,
por nada,
por nada,
por nada,
apenas pela presença
viva,
interessada,
amiga
e constante. (RENATO RIELLA)

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*