«

»

maio 29 2019

Ministro da Cidadania ataca Fiocruz e estudo sobre drogas no Brasil é engavetado

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou que um estudo da Fiocruz sobre o uso de drogas no Brasil não possui “validade científica” e apontou “viéis ideológico” no estudo.A pesquisa, realizada desde 2014, foi engavetada pelo governo.

Ele criticou a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) por conta de um estudo da instituição sobre uso de substâncias ilícitas não ter confirmado a existência de uma epidemia de drogas no país.

A pesquisa diz respeito ao 3º Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, que durante três anos realizou 16 mil entrevistas e envolveu o trabalho de 500 pesquisadores. O estudo garantiu através de edital R$ 8 milhões do governo para a realização da pesquisa, dos quais utilizou cerca de R$ 7 milhões, devolvendo R$ 1 milhão.De acordo como o ministro da Cidadania, Osmar Terra, a pesquisa não é confiável por não confirmar que exista uma epidemia de drogas. Para o ministro, “é óbvio para a população que tem uma epidemia de drogas nas ruas”.

“Eu não confio nas pesquisas da Fiocruz. Se tu falares para as mães desses meninos drogados pelo Brasil que a Fiocruz diz que não tem uma epidemia de drogas, elas vão dar risada. É óbvio para a população que tem uma epidemia de drogas nas ruas. Eu andei nas ruas de Copacabana, e estavam vazias. Se isso não é uma epidemia de violência que tem a ver com as drogas, eu não entendo mais nada. Temos que nos basear em evidências”, disse em entrevista ao jornal O Globo

“É prestigiada para fazer vacina, para fazer pesquisa de medicamento. Agora, para droga, ela tem um viés ideológico de liberação das drogas”, acrescentou o ministro.

O veto do governo é respaldado por uma cláusula do contrato, que prevê que o estudo só pode ser divulgado com a anuência da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, órgão ligado ao Ministério da Justiça.

No entanto, para pesquisadores e especialistas da área, como aponta a publicação do O Globo, o veto foi motivado pelo fato de que o estudo não confirma as repetidas declarações do ministro Osmar Terra de que exista uma epidemia de drogas no país.

 

​Em resposta, a Fiocruz divulgou um comunicado defendendo a metodologia usada na pesquisa, destacando a abrangência do levantamento e a correspondência com os critérios do edital.

“O 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira é mais robusto e abrangente que os dois anteriores, pois inclui, além dos pouco mais de 100 municípios de maior porte presentes nos anteriores, municípios de médio e pequeno porte, áreas rurais e faixas de fronteira […] Vale destacar que a abrangência amostral foi solicitada pelo próprio edital e que todos os critérios solicitados foram devidamente atendidos”, diz o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*