«

»

set 12 2020

MP denuncia secretário de Saúde do DF e outros 14 investigados por fraudes

A defesa do secretário de Saúde afirmou que considera a denúncia “insubsistente” e que ” padece da falta de prova”

Francisco Araújo está preso desde 25 de agosto pelas supostas irregularidades, assim como outras quatro autoridades da cúpula da Secretaria de Saúde .

Foram denunciados pelos crimes de organização criminosa, fraude em licitações, descumprimento de normas de dispensa de licitação e peculato:

  • Francisco Araújo Filho, secretário de Saúde
  • Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, secretário-adjunto de Gestão em Saúde
  • Ricardo Tavares Mendes, secretário-adjunto de Assistência à Saúde
  • Eduardo Hage Carmo, subsecretário de Vigilância à Saúde
  • Ramon Santana Lopes Azevedo, assessor especial da Secretaria de Saúde
  • Iohan Andrade Struck, subsecretário de Administração Geral da Secretaria de Saúde, que se encontra foragido (saiba mais abaixo).
  • Jorge Antônio Chamon Júnior, ex-diretor do Laboratório Central do DF
  • Emmanuel de Oliveira Carneiro, diretor de Aquisições Especiais da Secretaria de Saúde
  • Erika Mesquita Teixeira, gerente de Aquisições Especiais da Secretaria de Saúde

Entre os denunciados estão seis representantes das empresas favorecidas em contratos da Saúde. Eles são acusados de fraude em licitação, descumprimento de normas de dispensa em licitação e apropriação de dinheiro público:

  • Glen Edwin Raiwood Taves, proprietário da empresa Luna Park
  • Duraid Bazzi, representante empresa da Luna Park
  • Eduardo Antônio Pires Cardoso, sócio da empresa Biomega
  • Mauro Alves Pereira Taves, sócio da empresa Biomega
  • Nicole Karsokas, funcionária da empresa Biomega
  • Roberta Cheles de Andrade Veiga, funcionária da empresa Biomega

O defesa de Eduardo Hage afirma que o subsecretário agiu “dentro da legalidade”, o que “será provado junto à Justiça”

Entre os 14 investigados, cinco deles estão presos: Francisco Araújo, Ricardo Tavares, Eduardo Seara, Ramon Santana e Jorge Antônio Chamon. Todos foram afastados dos cargos – sendo Chamon oficialmente exonerado. Eles tentam habeas corpus na Justiça.

Eduardo Hage, que chegou a ser preso, foi solto após conseguir habeas corpus pelo Superior Tribunal de Justiça. Mesmo em liberdade, ele deve cumprir uma série de determinações da Justiça, como manter distância da Secretaria de Saúde e não fazer contato com outros suspeitos ou com servidores da pasta.

A Justiça expediu mandado de prisão também contra Iohan Struck, que é considerado foragido. A defesa dele afirma que o subsecretário está isolado com sintomas da Covid-19. Um teste, no entanto, teve resultado negativo. Os advogados questionam o exame.

Com informações de G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*