«

»

nov 27 2018

Novos deputados terão minicurso na Câmara, o Encontro de Ambientação Parlamentar

Menos da metade dos deputados federais novatos – que terão um mandato eletivo pela primeira vez a partir de 2019 – se inscreveram, até o momento, para um curso promovido amanhã (28) a partir das 8h, pela Câmara, para parlamentares de primeira viagem. Segundo a assessoria da Casa, 95 (39,25% dos 243 nesta condição) já confirmaram presença no evento, chamado de Encontro de Ambientação Parlamentar.

A Câmara viu necessidade de fazer o curso, que terá duas versões ampliadas, uma em dezembro e outra em janeiro, devido ao alto número de novatos. Quase metade (74,36%) dos eleitos frequentará o parlamento pela primeira vez. Em alguns partidos, como o PSL do presidente eleito Jair Bolsonaro, quase todos são estreantes: dos 52 que compõem a bancada eleita, 47 (ou 90,38%) nunca tiveram um cargo eletivo.

“Eles são novos, mas se você vasculhar o currículo deles, vai ver que é um pessoal bem preparado para o próximo mandato”, garante o deputado Delegado Waldir (PSL-GO), um dos poucos veteranos da legenda. “Claro que vai ter níveis de preparação diferente. É como uma turma de universitários”, compara. Waldir diz já ter reunido toda a futura bancada duas vezes em Brasília e o repasse de informações tem sido frequente no WhatsApp. Amanhã, segundo ele, haverá um terceiro encontro, e os novatos também são incentivados a participar do curso da Câmara.

Em seis partidos (Novo, PRP, PMN, PTC, DC e Rede) a taxa de renovação é de 100%: todos os deputados eleitos assumirão um cargo pela primeira vez. Destes seis, porém, apenas o Novo atingiu a cláusula de barreira nas últimas eleições. A tendência é que os demais percam deputados, que deverão migrar para legendas maiores no ano que vem.

Entre as 10 maiores bancadas eleitas, apenas o PSL e o PRB terão mais de 50% de novatos. O PRB, cuja taxa de renovação é 60% (dos 30 eleitos, 18 são debutantes), deve compor a base do governo Bolsonaro ao lado do PSL. O líder do PRB na Câmara, Celso Russomanno, diz que o alto nível de estreantes não impedirá a coesão da legenda nas votações. “Muitos conhecem as instituições porque já foram deputados federais ou vereadores. E de qualquer maneira, o PRB sempre chega à posição da maioria e os demais acatam. Somos uma grande família”, afirma.

As menores renovações da casa estão em legendas que perderam eleitores em relação a 2014, como PSDB, MDB e PT. No partido do presidente Michel Temer, por exemplo, a oxigenação é de pouco mais de um quarto: dos 34 eleitos, 9 (ou 26,47%) assumirão mandato pela primeira vez.

Fonte: Congresso em Foco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*