«

»

ago 20 2014

O ELEITOR NÃO QUER VOTAR. E AGORA?

RENATO RIELLA

Vi uma pesquisa bem recente da Dados Opinião, com resultado assustador: mais de 90% dos eleitores brasilienses não pensam em eleição e não têm previsão de candidato para deputado federal e deputado distrital.

Para senador e governador, o quadro não está muito diferente, no que se refere à pesquisa espontânea (sem mostrar os nomes dos possíveis candidatos).

Pesquisei nos meus arquivos e vi que, em 2006, nessa época, pouco mais de 50% dos eleitores não tinham candidatos. E em 2010, pouco mais de 60%.

Quase 30 pontos percentuais a mais de indecisos e indefinidos, no fim de agosto, é a prova de que o eleitor está desencantado.

Pesa sobre isso a rejeição do governador Agnelo Queiroz, a insegurança da candidatura de José Roberto Arruda e o desconhecimento em relação aos demais candidatos a governador.

Mas pesa mais, mesmo, o desprezo que o brasileiro está tendo em relação aos políticos e aos partidos, como ficou demonstrado nas manifestações de junho de 2013.

Pode ser que o quadro se modifique, com a propaganda eleitoral gratuita e os debates de TV, mas há risco de se registrar o maior percentual de votos perdidos da história brasileira.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

2 comentários

  1. Wílon Wander Lopes

    Também estou preocupado com esta tendência, Riella. Mas a eleição é no dia 5 de outubro e, até lá, muita água vai rolar, como gostam de dizer os nossos coleguinhas marqueteiros (fiquei sabendo que o André Gustavo também virou), quando as pesquisas não favorecem seus fregueses-candidatos.
    Quem imaginaria a morte de Eduardo Campos? Quem imaginaria Marina, depois que a Rede não vingou, na raia presidencial? E Arruda em primeiro lugar em todas as pesquisas, inclusive nas espontâneas? Rollemberg passando Agnelo? E Agnelo, com tanta obra, amargando a maior rejeição?
    Diz minha tia Inácia (a sábia macróbia vive dizendo: “quem não está perplexo, está mal informado!”) que é Deus escrevendo certo por linhas tortas… Não dizem que Deus é brasileiro? E que a voz do povo é a voz de Deus? Será que Deus entrou mesmo nessa? Dizem que não cai uma folha sem ele querer…
    E se ele é mesmo brasileiro, não vamos ficar com esperança de resultados diferentes no 5 de outubro…

  2. Wílon Wander Lopes

    Olha aí, Riella, descobriram que o PSB tem uma pessoa que tem nome nacional e credibilidade junto aos políticos e que, por isso, pode agregar: Luiza Erundina, ex-prefeita de São Paulo e ex-ministra de Itamar.
    Em nota anterior, em que você falou sobre vice para Marina, lembrei do nome dela, lembra?Mais um furo – embora indireto – indireto para o seu blog.
    Veja aí nota que saiu hoje no blog do Noblat:
    Enviado por Ricardo Noblat – 22.8.2014 | 4h14m
    POLÍTICA
    Erundina assume coordenação da campanha do PSB
    Catarina Alencastro e Carina Bacelar, O Globo
    Um dia depois de lançar Marina Silva como candidata à Presidência no lugar de Eduardo Campos, morto tragicamente na semana passada, o PSB teve seu primeiro problema com a nova configuração da nova chapa, que tem o deputado socialista Beto Albuquerque como vice de Marina. O coordenador geral da campanha, Carlos Siqueira, primeiro-secretário do PSB, resolveu deixar o posto por divergências com a Rede, de Marina.
    À noite, o PSB divulgou nota oficial informando que Luiza Erundina assumirá seu lugar. “O Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro, Roberto Amaral, designou a deputada Luiza Erundina (SP) para coordenar a campanha da Coligação “Unidos Pelo Brasil”. Luiza Erundina substitui Carlos Siqueira na coordenação geral da campanha”, diz o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*