«

»

ago 08 2018

O eleitor que não quer votar, desesperançado e desanimado, decidirá quem arruinará ainda mais o país

HÉLIO FERNANDES

Todas as pesquisas, dos mais diversos Institutos, registram: a abstenção (e os sucedâneos para anular o voto) ultrapassam os 50 por cento dos inscritos.

Como os cidadaõs-contribuintes-eleitores são 146 milhões, os que desistirão do seu mais legitimo direito ultrapassam os 50 por cento..

Todos concordam, é muito, cálculo exagerado. Mas a descrença e a convicção de que não adianta votar está na razão direta da mediocridade dos candidatos e da inutlidade de escolher alguém nessa lísta repetitiva, e que vem de longe.

Dos oito que devem disputar o primeiro turno, pelo menos quatro já foram presidenciáveis.

Os outros quatro estão entre os mais recusados ou repudiados.

E não existe nenhuma possibilidade de modificação na qualidade dos que se apresentam como presidenciáveis.

Mas, à falta de atração dos candidatos, acrescente-se a displicência e o desinteresse dos eleitores. Com o mais profundo lamento, vou citar um exemplo, que pode se multiplicar indefinidamente.

PS-Clarice Herzog, anteontem, deu estranha entrevista. Textual: “Sou de esquerda, vou votar em Alckmin”. Contradição completa.

PS2- Mais grave ainda. Esqueceu que é viuva de um personagem historico, Wladimir Herzog, assassinado pela ditadura.

PS3-Não pode vir a público, dizer que votará em Alckmin. Insensato e clamoroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*