«

»

out 28 2021

PF cumpre mandados de buscas na Precisa Medicamentos em Brasília e São Paulo

APolícia Federal deflagrou hoje (28)  operação para buscar documentos apresentados pela empresa Precisa Medicamentos para o Ministério da Saúde no processo da compra da vacina Covaxin.

A Precisa foi alvo da CPI da Covid-19, por ter intermediado a aquisição de 20 milhões de doses da Covaxin com o Ministério da Saúde, em contrato de R$ 1,6 bilhão com suspeita de pedido de propina, entre outras denúncias de irregularidades.

A operação de hoje tem 11 mandados de busca e apreensão para serem cumpridos nas cidades de Brasília, São Paulo e Campinas.

Participam 50 agentes da Polícia Federal e oito servidores da Controladoria-Geral da União. A operação foi autorizada pela 12ª Vara Criminal do Distrito Federal.

Em nota, a defesa da Precisa disse que a empresa está colaborando com as investigações, já apresentou todos os documentos pedidos e vai comprovar “a lisura de todas as ações”.

Entre as pessoas alvos dos mandados estão: Francisco Maximiano: dono da Precisa; Emanuela Medrades: diretora da Precisa; e Marcos Tolentino: advogado, suspeito pela CPI de ser sócio oculto da Precisa.

Entre as empresas alvos estão Precisa Medicamentos e FIB Bank: instituição que, apesar do nome, não é banco. Emitiu a carta fiança que seria usada pela Precisa na compra da Covaxin

Em nota, a CGU explicou que as investigações sobre a Covaxin começaram a partir de denúncias de irregularidades publicadas na imprensa.

A CGU informou ainda que, nas apurações, foi descoberto que a Precisa apresentou documentos falsos ao Ministério da Saúde e à própria CGU.

Também foi constatada irregularidade em um cara fiança apresentada pela Precisa. A empresa que emitiu o documento não tem autorização do Banco Central para esse tipo de atividade.

A CGU viu ainda indícios de fraudes em assinaturas e documentos da Precisa.

Nos cálculos da CGU, as cartas de fiança irregulares apresentar para a Saúde e outros órgãos públicos podem chegar a mais de R$ 500 milhões.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*