«

»

maio 23 2015

PROJETO NAZISTA DA CÂMARA QUER PROIBIR PANFLETOS NOS SINAIS

RENATO RIELLA

Os rapazes e moças eleitos para a nossa discutível Câmara Legislativa estão aprovando um projeto maluco, que proíbe a distribuição de panfletos publicitários e informativos nas vias públicas do DF, assim como a colocação na parte externa de veículos.

Meu Deus! Quem pediu isso? Nenhuma cidade do mundo conseguiu fazer essa proibição.

Há alguns anos, tinha grande impaciência com os jovens (quase sempre negros ou mulatos) que me abordavam para entregar panfletos, vender sacos de lixo ou panos de cozinha nos sinais.

Fui um dia a Salvador. Saí de carro com minha irmã Vera, um ser humano bem mais humano do que eu. Em cada esquina, ela abria o vidro do carro, recebia os folhetos, dava uma risada bem baiana, agradecia e desejava bom trabalho para a garotada pobre. “Deus proteja vocês!”

Fiquei surpreendido e contestei. Vera me explicou, com doçura: “Em cada um deles eu vejo o Fábio!”.

Ora, Fábio Riella é o filho da Vera, com cerca de 40 anos, louro, alto, forte, servidor público de bom nível – uma figura totalmente diferente daqueles meninos e meninas dos sinais. Mas Vera conseguia ver o Fábio nos pobres trabalhadores descalços, sem boné, com camisetas rasgadas. Milagre!

Mudei meu conceito. Hoje faço igual a Vera. Em troca, recebo dos panfletadores muito carinho, palavras de fé e até orientação sobre coisas da cidade.

Mas a presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão (PDT), não tem remorso de aprovar na Comissão de Assuntos Fundiários este projeto criminoso, que proíbe a presença de trabalhadores jovens nos sinais luminosos e em outros pontos da cidade.

De acordo com o texto, o descumprimento da proibição acarretará multa no valor de R$ 5.000, que poderá ser dobrada em caso de reincidência. Felizmente o projeto ainda terá que passar pela Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) e pelo plenário da Casa, onde o bom senso certamente prevalecerá.

Se nada der certo, vou trazer minha irmã Vera da Bahia, para dar uma lição de humanidade nos rapazes e moças que antes foram pobres e hoje têm orçamentos milionários, nos seus gabinetes da Câmara Legislativa.

Juízo, pessoal, juízo!

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

3 comentários

  1. Nair Silva

    Nem todos pensam igual a você. Fui uma das pessoas que levou à deputada a preocupação com esta propaganda que a maioria das pessoas jogam na rua, e que vai parar dentro dos bueiros poluindo nossos rios. Nem todos são co seu amigo que tem carro e tecebem estes folhetos achando bom. O que mais chamou a minha atenção foi a forma raivosa q i senhor se dirigiu aAIS jovens deputados. Sera que ser jjovem lhe traz algum problema? Respeito muito os políticos que vêem o que nós não vemos, e se preocupam com.o meio ambiente. Sabe que tem jovens que vende.drogas? Ė um trabalho p eles. Nem por isso acho que secos defender o trafico…

  2. Nair Silva

    O nazismo deve estar dentro do seu coração, seu comentárioé nmarcado por ódio e discriminação com is jovens

  3. Rúbia

    Diferentemente de você, adorei o projeto. Não trato mal as pessoas mas acho indigno este “trabalho” pois expõem as pessoas a uma rotina degradante, debaixo de sol escaldante, sem condições nem de usarem um banheiro e, portanto, recuso-me a pactuar com isso. Não abro o vidro do carro. Se isto não existe em nenhum outro lugar do mundo, não sei. Mas sei que em Barcelona, cidade que conheço muito bem, este tipo de atividade é proibido, sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*