«

»

out 16 2020

Rebanho bovino cresce 0,4% depois de dois anos de queda, diz IBGE

O rebanho bovino nacional voltou a se recuperar após dois anos consecutivos de queda. Com leve alta (0,4%) em 2019, o número de reses no país chegou a 214,7 milhões.

O Mato Grosso segue na liderança, com 31,7 milhões de cabeças de gado, respondendo por 14,8% do rebanho nacional, mas o município com a maior quantidade de bovinos foi São Félix do Xingu (2,2 milhões), no Pará.

O valor de produção dos principais produtos pecuários cresceu 9,0% em 2019, chegando a R$ 59,3 bilhões. A produção de leite concentrou 72,8% deste valor, seguida pela produção de ovos de galinha (25,6%), mel (0,8%), ovos de codorna (0,6%), lã (0,1%) e casulos de bicho da seda (0,1%).

Considerando esses produtos, o maior valor de produção foi observado na região Sudeste, que concentrou 35,8% do total nacional, seguida pela região Sul, com 30,9% (R$ 18,3 bilhões).

Em todas as grandes regiões, houve aumento em relação a 2018. Minas Gerais foi o estado com maior valor de produção: R$ 13,0 bilhões.O volume de leite produzido em 2019 (34,8 bilhões de litros) foi o segundo maior da série iniciada em 1974, inferior apenas ao de 2014 (35,1 bilhões de litros).

Frente a 2018, a produção nacional de leite cresceu 2,7%, enquanto o efetivo de vacas ordenhadas (16,3 milhões) caiu 0,5%, resultando numa produtividade de 2.141 litros de leite/vaca/ano.

O Sudeste voltou a ser o maior produtor, com alta de 4,4% no volume de leite e participação de 34,3% na produção nacional. Minas Gerais, com maior efetivo de vacas ordenhadas (3,1 milhões), teve, no ano, redução de 0,3% no total de animais.

O total de galináceos (1,5 bilhão de cabeças) ficou praticamente estável em relação a 2018, com variação de 0,1% (ou 940 mil animais). Entre os estados, os líderes foram Paraná (26,5% do total nacional), São Paulo (14,0%) e Rio Grande do Sul (10,5%); entre os municípios, Santa Maria de Jetibá (ES), Cascavel (PR) e Bastos (SP).Já a produção nacional de ovos de galinha bateu novo recorde: 4,6 bilhões de dúzias em 2019, com alta de 4,2% frente a 2018.

O Sudeste foi responsável por 43,4% daquele total e o estado de São Paulo foi o maior produtor (25,4%).O rebanho suíno caiu 1,6%, totalizando 40,6 milhões de animais, mas o número de matrizes de suínos (4,8 milhões) teve leve alta (0,5%), crescendo pelo terceiro ano consecutivo.

A região Sul detém o maior rebanho suíno e concentra 49,5% do total, apesar da queda de 2,4%, no ano. Santa Catarina é líder com 7,6 milhões de suínos, e o maior rebanho municipal foi o de Toledo, no Paraná (1,2 milhão).

A piscicultura cresceu 1,7%, chegando a 529,6 mil toneladas. Com alta de 4,8% na produção, a região Sul seguiu na liderança, respondendo por 32,9% da piscicultura nacional. A tilápia continua sendo a principal espécie produzida, com 323,7 mil toneladas, ou 61,1% do total.

Esses resultados fazem parte da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2019, que traz ainda dados sobre bubalinos (1,4 milhões), equinos (5,9 milhões), caprinos (11,3 milhões), ovinos (19,7 milhões), codornas (17,4 milhões), ovos de codorna (315,6 milhões de dúzias), mel (46,0 mil toneladas), casulos do bicho-da-seda (3,1 mil toneladas), lã (8,3 mil toneladas) e ovinos tosqueados (2,7 milhões), ostras, vieiras e mexilhões (15,2 mil toneladas) e camarão de cativeiro (54,3 mil toneladas).

Com informações de Ascom/IBGE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*