«

»

out 04 2019

Rio de Janeiro tem confronto entre traficantes com pelo menos três mortos

O confronto entre facções criminosas no Chapadão, na Zona Norte do Rio, deixou pelo menos três mortos e seis feridos. As informações são do delegado Rodrigo Barros, da 39ª DP (Pavuna), e do porta-voz da PM Mauro Fliess.

Segundo a PM, no fim da tarde de ontem (3), criminosos do Comando Vermelho invadiram a Pedreira e a tomaram do Terceiro Comando Puro. O Comando Vermelho é a quadrilha que domina o Chapadão. Dois corpos foram encontrados pelos policiais militares.

“Uma pessoa foi levada pelos familiares para o hospital, mas já chegou morta. Agora pela manhã os PMs entraram na comunidade e encontraram um corpo na Terra Nostra (comunidade na Pedreira) e outro no Chapadão”, diz Fliess.

O confronto apavorou moradores de Costa Barros e afetou linhas de trem e do metrô. Sete ônibus foram queimados. As escolas municipais da região não abriram nesta sexta, segundo a secretaria de educação.

Há relatos de mais mortes, mas as autoridades não confirmam. A polícia trabalha com a hipótese de o tráfico ter sumido com os corpos e aguarda o registro de desaparecidos.

O que se sabe até agora

  • Sete ônibus foram incendiados na Avenida Pastor Martin Luther King Jr – as carcaças estavam no mesmo lugar até as 8h45 desta sexta. A viação responsável dizia aguardar a perícia para removê-las.
  • Estações do Metrô e da Supervia foram fechadas; às 6h30, a circulação era normal.
  • Há registro de um ferido, um soldado do Exército.

PM previa a ação

“A corporação já tinha dados de inteligência que mostravam uma instabilidade naquele local, com possibilidade de invasão”, explicou o tenente-coronel Mauro Fliess, relações-públicas da PM.

“Já tínhamos um planejamento próprio, que foi ativado tão logo que se deflagrou a instabilidade, com o cerco”, declarou.

A Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), grupo de elite da Polícia Civil, ocupou as localidades da Quitanda e da Lagartixa. Já o Batalhão de Operações Especiais (Bope) programou uma incursão na Pedreira. Demais batalhões de área ajudavam no perímetro.

Pedreira enfraquecida

A polícia diz que o tráfico na Pedreira ficou instável depois da prisão do traficante Raro. O segundo na linha de comando do TCP na comunidade teria abandonado a facção, o que teria facilitado o caminho para a invasão.

O ataque aos ônibus seria uma tática do Comando Vermelho para impedir a chegada de reforços do TCP por Acari.

Com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*