«

»

out 15 2020

SETOR DE SERVIÇOS COMEÇA A SE RECUPERAR

—RENATO RIELLA—

O volume do setor de serviços no Brasil teve alta de 2,9% em agosto deste ano, na comparação com o mês anterior (julho). Essa é a terceira alta consecutiva do indicador, segundo o IBGE. A área de serviços é a última em recuperação dentro da atual crise.

As altas vieram depois de quatro taxas negativas, ocorridas entre fevereiro e maio deste ano, por conta da pandemia. No período, houve perda acumulada de 19,8%.

Apesar dos ganhos em relação a julho, em agosto foram registradas perdas de 10% na comparação com agosto do ano passado. Há queda de 9% no acumulado do ano.

Na passagem de julho para agosto, houve altas em quatro das cinco atividades pesquisadas, com destaque para serviços prestados às famílias (33,3%).

Também foram observadas taxas de crescimento nos transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (3,9%), serviços profissionais, administrativos e complementares (1%) e outros serviços (0,8%).

Houve queda de 1,4% nos serviços de informação e comunicação.

 

CORREIOS – Ministro das Comunicações, Fábio Faria apresentou o projeto de privatização dos Correios ao Palácio do Planalto.

Explicou que a proposta contém mais princípios do que regras, uma vez que as decisões deverão ser tomadas no Congresso.

Consultoria contratada ao BNDES deverá enviar, em até 120 dias, a proposta para o Legislativo.

O Ministério das Comunicações ficará responsável pela coordenação da política para melhoria dos serviços postais, da Política Postal Brasileira e do Plano Geral de Metas para a Garantia da Prestação do Serviço Postal Universal.

A proposta prevê a substituição da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) por uma nova agência: Agência Nacional de Comunicações (Anacom). Esta passaria a regular também os serviços do Sistema Nacional de Serviços Postais.

 

PCC – Supremo Tribunal Federal aprova a decisão do Presidente Luiz Fux, que desautorizou o Ministro Marco Aurélio na libertação do preso André do Rap, líder do PCC.

Fux diz que o criminoso debochou da Justiça e fugiu imediatamente para o Paraguai.

Seis dos dez ministros do STF votaram contra a decisão do colega Marco Aurélio.

Eles afirmam que, pela gravidade do caso, o juiz da jurisdição regional deveria ter sido consultado, diante da periculosidade do réu, já condenado em segunda instância em dois processos.

 

FIANÇA – Superior Tribunal de Justiça (STJ) surpreendeu, ao determinar a soltura de todos os presos do país que foram beneficiados com liberdade provisória, mas continuam encarcerados pela falta de pagamento de fiança. A medida foi tomada em função da pandemia.

A decisão está sendo avaliada e não há ainda cálculo indicando quantos presos podem ser soltos no Brasil.

 

FUTEBOL – Mais uma Medida Provisória está caducando sem ter sido posta em discussão pelo Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Desta vez é a chamada MP do Mandante, que perde validade hoje (15).

A Medida Provisória é defendida por lideranças do futebol brasileiro e altera o direito de transmissão de partidas de futebol.

Os times mandantes dos jogos poderiam comercializar com veículos de comunicação a exibição dos jogos.

Projeto de Lei 4876/20, apresentado pelo deputado André Figueiredo (PDT-CE), repete, com algumas mudanças, o texto da Medida Provisória assinada por Bolsonaro. Vai reabrir a discussão.

 

BRASIL – Como costuma acontecer, o índice de mortes pela covid-19 no Brasil sobe no meio de semana.

Ontem, foram 749, elevando o total a 151.747.

 

HOMENAGEM – Hoje é o Dia do Professor – a ser comemorado à distância.

Brasil tem cerca de 2,6 milhões de educadores, segundo o Censo Escolar de 2018.

 

ECONOMIA – A Bolsa de Valores surpreendeu ontem, ao atingir 99.334 pontos.

No entanto, hoje de manhã, o noticiário internacional mostra a queda das principais bolsas do mundo, por causa da preocupação com o novo pico de covid-19 em diversos países, principalmente na Europa.

Dólar fechou ontem a R$ 5,59.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*