«

»

mar 16 2015

SOBRE O PROTESTO DE ONTEM

CAIO SILVA

Vamos supor que um cientista, que não conhece nada de Brasil, caísse ontem no país, bem meio das manifestações. Distante da nossa realidade, e com sua mente inquisitiva, perguntaria: por que tanta gente estaria reunida?

Observando mais de perto, veria que não era um grupo racial, étnico, religioso ou que pudesse ter uma classificação. Jovens, velhos, homens, mulheres, bem vestidos, mais simples, enfim, ele observava que haviam pessoas de todos extratos sociais e culturais.

Então, ele se pergunta de novo: o que leva, qual o motivo que une pessoas de tamanha diversidade?

Esta é a questão a ser respondida. Se impeachment é legal ou não, democrático ou não, se é eleitor de um ou outro, são apenas questões que desviam do que considero foco: o que uniu esse povo?

Obter essa resposta, ou respostas, é ouvir a voz das ruas.

Por enquanto, governo e oposição fingem não ouvir, porque lhes convém.
Quem se habilita a começar a responder?

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

1 comentário

  1. Wílon Wander Lopes

    Olá, Caio, você desafiou rsrsrs, eu me habilito a começar este interessante debate aqui no nosso atuante blogdoriella: o que uniu o povo foi a indignação. E indignação da classe média, o grosso, sem dúvida, dos manifestantes. Os bem informados começaram a botar a cabeça de fora…
    Há muita indignação com o retorno indecente dos impostos, com os péssimos serviços públicos, a falta de moral das autoridades constituídas, com a falta de sensibilidade da classe política (aquela do Eduardo Cunha na CPI da Petrobras foi demais!), com a deslavada corrupção – que aumenta a cada dia…
    Faltam líderes, Caio e demais leitores do blog, gente como Juscelino, Tancredo e Ulysses…
    Ouso dizer que, em face da falência da representação política tradicional (Quem nos representa? Os partidos viraram balcões de negócios escusos), já está começando um movimento da sociedade civil no sentido de isolar os políticos na Praça dos Três Poderes.
    Eles que fiquem por lá, enquanto a sociedade civil organizada, que alguns chamam de povo, vai cuidar do Brasil pela beiradas, usando a legitimidade das entidades que de fato representam o povo, no dia-a-dia das suas aflições, com destaque especial para as redes sociais e os movimentos religiosos.
    Os políticos que se cuidem. Vem aí a desobediência civil. Um novo tempo está chegando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*