«

»

mar 31 2015

SUICÍDIO DE PILOTO PODE PROVOCAR NOVOS SUICÍDIOS DE PILOTOS

RENATO RIELLA

Aprendi na reportagem policial que a divulgação de suicídios gera outros suicídios, principalmente nos casos espetaculosos ou de grande emoção.

Diante disso, o mundo pode temer, nos próximos tempos, novos episódios trágicos gerados por pilotos ou co-pilotos.

Uma ex-namorada de Andreas Lubitz, o alucinado que provocou 150 mortes nos Alpes, lembrou do desabafo dele, que prometeu gerar um fato que abalaria o mundo. Queria ficar famoso…

Em Brasília, na década de 80, era comum suicídio na Torre de TV. Até que os jornais fizeram o pacto de não divulgação e esses casos tornaram-se raros. Mesmo assim, tempos depois, foram instaladas grades na Torre.

Tivemos no shopping Pátio Brasil mais de dez suicídios de jovens, nessa mesma condição. Quando havia a divulgação das mortes,  tempos depois outros rapazes e moças repetiam a tragédia. Hoje, há vidros nos andares do shopping que impedem o salto para a morte.

No caso dos pilotos ou mesmo dos rapazes que produzem assassinatos em massa no mundo, as ocorrências podem ser reduzidas se uma entidade como a ONU (Nações Unidas) lançar campanha pedindo que os nomes e as fotos dos causadores das mortes deixem de ser divulgados.

Quem quiser morrer e matar, deve ficar sabendo que não terá notoriedade. Mas, enquanto isso não acontece, podemos temer o pior. (É claro que não se enquadram nessa situação os atentados provocados por fanáticos religiosos).

No meio disso tudo, surgem até piadas. Dizem que em Portugal foi dada uma ordem: se o piloto sair da cabine, o co-piloto tem de acompanhá-lo…

No resto do mundo, os estrategistas quebram a cabeça, mas não encontram uma saída segura para evitar novos desastres provocados por pilotos malucos. Enquanto isso, permanece sem esclarecimento o grande desastre da Malásia, provavelmente também gerado por um desequilibrado.

Diante de tantos temores, vale a recomendação: na dúvida, que seja afastado o profissional com problema mental. É duro, mas é a única saída.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*