Com a proximidade das eleições de 2022, começam as definições de nomes que disputarão o próximo pleito eleitoral, no Distrito Federal.  A corrida por uma vaga na Câmara dos Deputados será pesada, na avaliação de políticos e analistas.

As mudanças nas regras eleitorais poderão contribuir para uma batalha acirrada no próximo pleito. Na semana passada a Câmara dos Deputados aprovou a votação do novo Código Eleitoral (Projeto de Lei Complementar 112/21). O texto ainda será analisado pelo Senado.

Nos bastidores a movimentação é intensa sobre possíveis nomes que participarão das próximas eleições. De acordo com informações obtidas pelo Agenda Capital, a disputa por uma das oito vagas para deputado federal será uma das mais disputadas no Distrito Federal.

Políticos de mandatos e autoridades que ocupam cargos no governo, evitam falar publicamente sobre candidaturas e afirmam que não é hora de fazer esse debate. No entanto, nos bastidores não é bem assim.  As movimentações e as articulações para o próximo pleito avançam. No tabuleiro político, começa aos poucos aparecer os nomes para a Câmara Federal.

De acordo com o cientista político André Rosa, o quadro que se desenha aponta para um pleito com muitos nomes consagrados e pouca renovação. “Será uma eleição disputada, e a presença de tantos nomes fortes para concorrer a oito vagas acaba dificultando a entrada de outros nomes”, explica.

Ao menos, quatro políticos fortes do Distrito Federal que disputaram o Palácio do Buriti em 2018 devem buscar uma vaga na Câmara. As candidaturas de Rodrigo Rollemberg (PSB), Alberto Fraga (DEM), Rogério Rosso (PSD) e Eliana Pedrosa são dadas como certas por interlocutores. Os quatro foram bem votados e têm histórico de peso. Há ainda a candidatura do ex-governador Agnelo Queiroz (PT) que conta com o apoio do presidenciável Lula. Leia mais »