dez 01

ACABAMOS DE CRIAR O “QUARTO MUNDO”

Foi linda a homenagem dos colombianos, etc, etc.
Mas, para todo o mundo, o que está pegando é a pane seca.
Sabem o que é isso?
O avião da Chapecoense caiu porque não tinha gasolina suficiente.
Uma coisa inacreditável.

 

Não somos mais Terceiro Mundo.
Acabamos de criar o “Quarto Mundo” – o mundo dos imbecis.

E aproveitem essa crise para extinguir a tal Comebol, uma entidade do futebol latino-americano cujo presidente foi preso e que só vive de trambique.

Estamos chorando mais de 70 mortos.
Devemos chorar também por viver num continente que não evolui mentalmente. (RENATO RIELLA)

nov 28

GOVERNO DO DF TENTA TRUQUE PARA CONSEGUIR PAGAR OS SERVIDORES

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, vem a público hoje traçando um quadro muito negro da economia brasiliense.

Para garantir o pagamento dos servidores locais nos próximos três meses, o Executivo envia à Câmara Legislativa nesta semana um projeto de lei para destinar R$ 493,5 milhões do superávit do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev) para cobrir a folha de funcionários da ativa, dos aposentados e dos pensionistas até fevereiro de 2017.

O valor será dividido em três parcelas mensais de R$ 165 milhões. O pagamento do décimo terceiro salário já tem previsão orçamentária.

O GDF explica que a medida cobrirá o déficit de R$ 175 milhões mensais do orçamento local, decorrente da frustração de receitas deste ano com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), além de gastos extras, como o pagamento de férias.

A recomposição do superávit será feita por meio da transferência de participação acionária do Distrito Federal no Banco de Brasília (BRB). No entanto, o Executivo local permanecerá como sócio majoritário da empresa estatal.

A solução é similar à adotada no ano passado, quando o governo de Brasília levantou recursos com o Iprev em troca de imóveis para fazer frente aos compromissos com os servidores.

Será que este ano, em meio a tanta crise política local, o GDF terá o apoio da Câmara Legislativa na aplicação dessa medida?

 

nov 28

ARTIGO: NA MORTE DE FIDEL

CARLOS FINO

No mínimo controverso e sempre superlativo de luz e sombra, Fidel foi inegavelmente um personagem de dimensão histórica – talvez o último grande personagem do século XX, a ponto de se poder porventura afirmar que este só agora, com o seu desaparecimento, verdadeiramente terminou.

– Desafiou a maior potência do mundo, nacionalizando os interesses das principais companhias norte-americanas em Cuba;

– enfrentou um brutal bloqueio económico, que dura até aos nossos dias;

– escapou a inúmeras tentativas de assassinato, incluindo um desembarque militar na ilha;

– construiu no país sistemas de saúde e educação públicas que merecem os maiores elogios por parte dos organismos especializados das Nações Unidas e não têm paralelo no mundo em desenvolvimento;

– incentivou – sem êxito – a guerrilha na América Latina, esteve no centro de um possível confronto nuclear e

–  de caminho, ainda colocou um exército em Angola, cuja acção vitoriosa foi decisiva para o fim do racismo e do apartheid na África do Sul…

Em contrapartida,

– nunca cumpriu a promessa de realizar eleições livres;

– perseguiu e executou opositores;

– condenou dissidentes, incluindo jornalistas, a longas penas de prisão;

– não respeitou os direitos de livre expressão do pensamento, reunião e associação;

– cerceou drasticamente as liberdades de circulação e de culto (esta, mais tarde, bastante mitigada);

– deu origem a um êxodo em massa que levou numerosos técnicos e intelectuais a abandonarem o país.

No mínimo controverso e sempre superlativo de luz e sombra, Fidel foi inegavelmente um personagem de dimensão histórica – talvez o último grande personagem do século XX, a ponto de se poder porventura afirmar que este só agora, com o seu desaparecimento, verdadeiramente terminou.

O grande paradoxo é que para o seu crescimento a ponto de se transformar num mito de proporções mundiais, contribuiu sem dúvida a intransigência norte-americana.

Feridos no seu orgulho de grande potência, incapazes de aceitar tranquilamente o desafio que se levantava a escassos 140 kms da sua costa sul, os EUA, ao optarem pela hostilidade permanente em vez do diálogo, acabaram por elevar Fidel a símbolo internacional da luta por um desenvolvimento independente.

Paradoxo tanto maior quanto é certo que, no plano do confronto entre capitalismo e socialismo, que dominou o século, Fidel perdeu a batalha. O sistema que defendia e em cujos defensores se apoiava, colapsou, obrigando os seus defensores em todo o mundo a reorientar-se e rever posições, programas e tácticas de luta.

Foi a guerra aberta que o império lhe moveu que ajudou Fidel a manter até ao fim a imagem de resistente irreconciliável, mesmo quando, já na última década, empurrado pela doença, cedeu o leme ao irmão Raúl e acabou por admitir transformações no sentido da liberdade de iniciativa económica que antes sempre recusara.

Mudanças tímidas, do mesmo tipo das que foram introduzidas na ex URSS ainda por Lénine, quando, logo nos anos 1920, se tornou evidente que sem iniciativa privada a economia não deslanchava. Mudanças com mais de 100 anos de vida, que só agora Cuba começa a introduzir como se fosse uma grande reviravolta, o que só sublinha o impasse a que se chegou e marca o patético da situação.

Hoje, desaparecida a URSS  e afastado o perigo comunista, Cuba não representa mais qualquer desafio à hegemonia americana. O regime luta apenas por uma saída honrosa.

 

E agora?

A questão que agora se coloca é naturalmente a de saber se a morte de Fidel vai possibilitar uma aceleração do movimento já iniciado rumo à liberalização.

Os donos do poder – basicamente a família Castro e os burocratas do Partido Comunista – vão querer continuar num ritmo  alegro ma non tropo…  uma evolução na continuidade, à vietnamita ou à chinesa, por forma a conservarem o mais possível o controlo da situação.

Mas todos os sinais que chegam de Cuba dão conta de que as novas gerações, os jovens da internet e do FB, do Whattsap e do Skype, não têm mais a mesmo respeito dos  pais e dos avós pela mística da revolução cubana e não estão dispostos a esperar muito mais tempo para poderem ter acesso a melhor nível de vida e maior liberdade.

Mais uma vez, entretanto, tudo vai também depender  da atitude de Washington.

Se Trump, a exemplo do que fez durante a campanha, para obter os votos dos emigrados cubanos da Flórida, preferir o confronto ao diálogo, afastando-se da ou revertendo mesmo a aproximação ensaiada por Obama, temo que em vez de maior abertura os EUA acabem, como aconteceu no passado, por contribuir para mais resistência, facultando aos líderes cubanos a possibilidade de insistirem na tecla do patriotismo e do orgulho nacional – áreas em que os cubanos já demonstraram ser imbatíveis.

Esperemos, entretanto, que isso não aconteça. Afinal, Trump é sobretudo um homem de negócios. Nesta como em todas as outras esferas, a natureza, como se sabe, tem horror ao vazio – quem não parece esquece. Ora, quem já está em força em Cuba são a China (energia), o Canadá (minérios), a Espanha (serviços e hotelaria) e até o Brasil (portos)…

Se os EUA continuarem a preferir o confronto ao diálogo, podem perder, além de negócios, a possibilidade acrescida de influenciar os destinos da evolução cubana aberta agora pelo desaparecimento de Fidel – essa última grande figura do século XX … que os próprios norte-americanos ajudaram a criar.  (Do site Portugal Digital)

nov 28

ARTIGO: O LEGADO SNOWDEN

ROSANA TONETTI

Herói ou Traidor é, para se dizer o mínimo,  perturbador. A obra cinematográfica de Oliver Stone, baseada em livro, revela os eventos da vida do ex-contratado da Agência de Segurança Nacional (NSA), dos EUA, Edward Snowden (interpretado magistralmente por Joseph Gordon-Levitt), que tornou público, vazando milhares de documentos e detalhes, o esquema ultrassecreto de cibervigilância em massa dos EUA.

Até os menos paranoicos devem ter deixado a sala de projeção com alguns pontos de interrogação martelando a pergunta que não quer calar: qual o grau de privacidade que cada internauta tem quando navega pelo sistema global de redes de computadores interligados?

Há quem, tranquilão, chacoalhe os ombros e dispare: quem sou eu, reles, pobre e mortal, para ter alguma importância para os serviços secretos de inteligência? Bem, não sei como reagiu ou reagiria você, mas eu saí do cinema encasquetada.

Ainda que cônscia da minha insignificante existência para a NSA, a primeira providência ao chegar em casa foi colocar uma fita adesiva na câmara do  computador pessoal. Igualzinho Snowden faz no filme assim que soube que, sob o pretexto de combater o terrorismo, os EUA estavam aproveitando também para dar uma espiadela na vida de cidadãos  americanos e estrangeiros. Até lideranças de países aliados, como Alemanha, França e Brasil não escaparam da bisbilhotice da NSA.

Para quem ainda  continua a desdenhar, considerando que os atos de espionagem têm  sempre um governo por trás, está na hora de sair da zona de conforto. Há muitos piratas independentes que ganham a vida praticando atividades criminosas na Internet. É desta forma que proliferam roubos de segredos comerciais, senhas e extorsões de toda sorte. E a próxima vítima pode ser eu ou você!

A violação virtual reflete, direta ou indiretamente, na vida de quase todos.  Há companhias que gastam, hoje, dez vezes mais para se proteger de ataques cibernéticos do que dispendiam há três ou quatro anos. E dificilmente conseguem estar um passo à frente de quem as vigiam.

Segundo a empresa de segurança informática Symantec, os cartões de crédito são o produto mais procurado no submundo do tráfico de informação. Entre 2005 e 2007, eles foram o principal alvo do hacker cubano Albert Gonzalez, que conseguiu roubar os dados de mais de 45 milhões de números de cartões de crédito e débito acumulados pela loja de departamento TJ Maxx & Marshalls. Durante a sua carreira, que durou até a captura pela polícia em 2008, o criminoso conseguiu acumular informações confidenciais de mais de 170 milhões de pessoas.

Foi de um quarto de hotel, em Hong Kong, que saíram as denúncias de como os EUA e outras potências violam os princípios fundamentais da democracia  e do direito. Se naquele momento Snowden estava sendo patriota ou traidor, cabe à história julgá-lo – ou, talvez, não. O que, realmente, o motivou a ser apontado dentro de seu país como o ex-agente dedo-duro? Só o âmago de Snowden para responder.

O fato é que ele conseguiu abalar as relações fundamentais de diplomacia e a maneira como as pessoas enxergam seus governos. Da escala global para o microterritório digital que cada ser navega nas águas turvas da Internet, dá para ficar, no mínimo, com o mouse atrás da orelha. Em tempo: Snowden – Herói ou Traidor, eu recomendo.

Rosana Tonetti, jornalista brasileira, reside, atualmente, em São Paulo (Do Site Portugal Digital)

nov 28

BC PODE REDUZIR TAXA DE JUROS OFICIAL ESTA SEMANA

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reúne-se amanhã e na quarta-feira (30) para definir a taxa básica de juros, a Selic.

A expectativa é que dê continuidade ao ciclo de cortes na Selic, com redução da taxa dos atuais 14% ao ano para 13,75% ao ano.

Para o final de 2017, a expectativa para a Selic é 10,75% ao ano.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia.

Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas alivia o controle sobre a inflação.

 

nov 28

MERCADO, PESSIMISTA, ACHA QUE ECONOMIA PODE CAIR 3,49% ESTE ANO

A projeção de instituições financeiras para a queda da economia (Produto Interno Bruto – PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país), este ano, piorou esta semana, ao passar de 3,40% para 3,49%.

Existe um clima de pessimismo na economia, que nem a aproximação do fim do ano diminui, agravado pelas incertezas na política brasileira.

Para 2017, a expectativa de crescimento foi alterada de 1% para 0,98%.

nov 28

PREVISTA INFLAÇÃO DE 6,72% AO FINAL DE 2016

Toda semana a previsão para a inflação de 2016 cai, o que deve animar o governo Temer e pode gerar redução da taxa de juros ainda este ano.

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a projeção de inflação pela terceira vez seguida.

A estimativa de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 6,80% para 6,72%.

Para 2017, a estimativa é mantida em 4,93% há duas semanas. As estimativas fazem parte de pesquisa semanal feita pelo BC ao mercado financeiro sobre os principais indicadores econômicos.

As projeções ultrapassam o centro da meta que é de 4,5%. O teto da meta é 6,5% este ano, e 6% em 2017.

nov 26

ARTIGO: CONSIDERAÇÕES SOBRE FIDEL

JORGE EDUARDO

Aos 90 anos, deu adeus a este planeta o sr. Fidel Castro.

Sai da Terra com uma das missões mais conturbadas que já vi. Ao mesmo tempo que teve o mérito de tirar Cuba da condição de prostíbulo de luxo dos norte-americanos, transformou o país em um território particular, um grande latifúndio dele e do irmão.

Fidel encarnou a dicotomia comum da segunda metade do século passado, a luta do bem e do mal, o socialismo ditatorial versus o capitalismo desumano, a URSS contra os EUA, a guerra fria. Mas, tal como tudo isso, era mais complexo que a simplória simplificação da dualidade.

Estive em seu país em 2005, já em outros tempos, mas era ainda evidente que, se os tempos de paredons e julgamentos sumários havia ficado para trás, o mundo ideal também não existia. Isso é fácil de explicar: não se constrói nada com supressão de liberdade. E muito menos com imposição de opinião.

Fidel não será julgado por mim. Só por ele mesmo e pela história. O julgamento histórico ainda tarda. O consciencial começa agora.

De um lado da balança estarão os feitos de bem – o fim da tirania de Fulgencio Batista, o fim da bordelização de Cuba, o estabelecimento de boas práticas de saúde e educação (que já em 2005 não eram as mesmas, como constatei in loco, apesar de um “sombra” cuidar dos meus passos em Havana) e o desenvolvimento de um país atrasado.

Do outro, os fuzilamentos, a supressão de liberdades individuais, o acordo com os soviéticos, as artificialidades econômicas e a constantes manipulações de pessoas.

Que ele saiba se julgar com a maior justiça possível. Algo que nem sempre ele e os companheiros souberam fazer.

nov 26

TCHAU, FIDEL, QUE A TERRA LHE SEJA LEVE

Fidel morreu.
Antes que todos falem,
falo de madrugada.

Junto com o monstruoso
Chê Guevara, foi um
assassino covarde,
que criou o termo “paredon”.

No “paredão”, fuzilou
multidões de pessoas que se
opunham aos seus métodos,
inclusive muitos padres que
antes apoiaram a sua
“revolução”.

Manteve o poder matando todo
aquele que pudesse ameaçar
sua ditadura.

Não foi heroi, nem amigo,
nem patriota, nem leal,
nem grande pensador, embora
fizesse discursos de horas (como Chavez).
90 anos? Já vai tarde!

nov 26

A HONRA DOS BAIANOS

O Brasil está tão tenebroso que a cabeça da gente gira desde o início da manhã.

Fiquei triste de ver um baiano tão trapalhão como este horroroso Geddel. E lembrei de uma história antiga.

Um dia, o chefe do Jornal de Brasília, Carlos Honorato, caminhava na redação e ouviu um editor e um fotógrafo falando: “E a casa do Riella…”

O JBr estava fazendo matéria sobre homens fortes do Governo do DF que moravam em casa oficial.

Honorato voltou-se e disse a eles: “Fui a um aniversário de criança na casa do Riella há mais de 10 anos…”

Não era casa oficial porra nenhuma. Foi empréstimo pago ao BNH em mais de vinte anos, construída por mim – que fiz até a planta. Um puta do sacrifício para quem trabalhava das 8h da manhã às 11h da noite, em três lugares (antes de ir para o GDF).

Acabou sendo publicada na primeira página do Jornal de Brasília a casa do secretário de Segurança, Coronel João Brochado, que também foi construída por ele, com grande sacrifício, pagando em 20 anos – e não era casa oficial porra nenhuma. Jornal é assim!

Escapei por pouco de ser um falso Geddel, mantendo com muito esforço a honra dos baianos. E vem um merda desse, décadas depois, e mela tudo.

Espero que a negada malandra da Bahia dê um banho de areia no Geddel quando ele estiver tranquilão numa praia. Vamos lá, pessoal! Areia na cabeça gorda do vagabundo! (RENATO RIELLA)

nov 26

RENOVAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FARÁ UM NOVO BRASIL. AGUARDE!

Granjeiro é um dos maiores especialistas em concurso público no Brasil.

Há algum tempo, perguntei a ele que efeito teria na vida brasileira a prática que se consolidava da realização de concursos.

Ele explicou que passaria a ocorrer a convivência entre as velhas gerações, intuitivas, com as novas, muito bem formadas.

Mostrou que quem estava passando em concurso havia estudado muito noções de comportamento, ética, legislação, Constituição, etc.

E vemos, hoje, que os velhos estão sendo desmascarados pelos primeiros concursados que assumem cargos de expressão. Xô, velhos sem formação!

Essa transição, nas duas próximas décadas, pode fazer um Brasil melhor.

Espero que a perspectiva de Granjeiro se concretize. Pretendo estar vivo para ver esse fenômeno.

Chega de Estilo Geddel na administração pública!
E Deus salve o Estilo Moro de ser! (RENATO RIELLA)

nov 25

MANIFESTAÇÃO DO DIA 4 TEM BOAS PROPOSTAS

Recebi convite para a manifestação do dia 4 de dezembro, com cinco reivindicações ou cinco bandeiras que apoio. São elas:

–Apoio à Operação Lava-Jato

–Apoio ao projeto das 10 Medidas contra corrupção

–Corruptos na cadeia

–Fim do foro privilegiado

–Não ao PLS 280 do Senado (do senador Renan, que tenta estabelecer “crimes de abuso de autoridade”, mas na verdade visa ameaçar investigações feitas no âmbito da Polícia Federal, Ministério Público e Justiça.

Essa manifestação está sendo convocada pela entidade Vem Pra Rua, mas pode ter apoio de outras.

Nessa linha, creio ser possível juntar grupos diferenciados da sociedade, pois quase todo mundo apóia essas bandeiras (com exceção de petistas muito radicais).

Infelizmente, algumas dessas propostas podem sofrer derrotas ao longo da semana.

O Brasil parece que vai acordar de novo. (RENATO RIELLA)

nov 25

REIVINDICAÇÕES DE RUA PODEM VOLTAR, MAS NÃO HÁ PROPOSTAS DEFINIDAS. O BRASIL NÃO SABE O QUE QUER

Estão sendo convocadas manifestações populares dos brasileiros para este domingo e para o próximo domingo.

Mas o que se dizer nos cartazes e nas camisetas?

Chegamos a um estágio em que não temos proposta.

A proposta, por eliminação, é a manutenção do governo de Michel Temer, na esperança de que permaneça a relativa estabilidade institucional deste segundo semestre.

No entanto, lembramos que o presidente nunca teve staff na sua vida profissional. Hoje, ainda não tem um conselheiro de imprensa ou de comunicação para protegê-lo das más palavras.

Por isso, errou fortemente pelo menos em três oportunidades:

1. Disse à imprensa temer a prisão do Lula.
2. Protegeu o ministro Geddel (que finalmente caiu)
3. E pensa em sancionar a anistia do Caixa Dois.

Tudo isso e muitas outras coisas, como os projetos polêmicos em tramitação no Congresso, abalam a credibilidade de Michel Temer. Mas ele sabe que o Brasil hoje não possui outra opção institucional que não seja o próprio Temer.

O presidente tem a seu favor a equipe econômica, mas fechará 2016 com uma queda acumulada do PIB de quase 10%, o que é uma tragédia. A população está sofrendo na carne e no bolso.

As manifestações de rua podem pedir a volta da Dilma, ou pedir a realização de eleições gerais, a saída do Temer (sem opção), o afastamento do Renan, apoio amplo ao Sérgio Moro, combate ao projeto da Caixa Dois, etc.

O povo nas ruas pode pedir tudo, mas não haverá unidade de propostas. O Tribunal Superior Eleitoral tem um processo que pode cassar a chapa Dilma-Temer, mas quando será julgado?

Diante de tudo isso, pergunto:
Os petistas pedirão o quê, nas manifestações de rua?
Os coxinhas reivindicarão o quê?
Os despolitizados pedirão o quê?

O Brasil está insatisfeito, mas ninguém consegue dar uma sugestão aproveitável neste momento, antes de um possível caos e de possíveis conflitos desorganizados.

A esperança é que Michel Temer se cerque de conselheiros sábios e prudentes. E afaste as provocações, reduzindo o nível de descontentamento do povo.

Será que ele está pensando em reciclar seu comportamento para sobreviver?

A próxima semana talvez seja a mais difícil da história do Brasil e pode definir nosso futuro.
(RENATO RIELLA)

nov 24

REFLEXÃO DO DIA

A todos vocês, que estão hoje lutando para ter muita riqueza ou muita fama, ofereço esta reflexão matinal:

–Por que Neymar arriscou sua liberdade e seus milhões de dólares, se já tinha tanto dinheiro e tanto sucesso?

–Por que Marilin Monroe, sendo a mulher mais impactante da história da humanidade (mais do que Cleópatra), vivia em grande infelicidade e morreu desta doença?

–Por que Elis Regina, no auge da fama e do reconhecimento, morreu aos 35 anos de overdose?

–Por que o genial Renato Russo, lúcido, humano, do bem, deixou-se matar pela AIDS?

–Por que Gim Argello não quando obteve o seu primeiro bilhão de forma ilícita e continuou alucinado, até ser condenado a 19 anos de cadeia?

Como ninguém vai ter respostas para essas perguntas, fica a dica: mantenham-se atentos e não repitam essas receitas de fracasso.

E Deus não nos deixe cair tanto em tentação! (RENATO RIELLA)

nov 23

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA TOMOU CONTA DA CBF, DIZ RELATÓRIO DA CPI

JOSÉ CRUZ

Após um ano e meio de investigação, um relatório paralelo apresentado, nesta quarta-feira (23), na CPI do Futebol concluiu que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi tomada por uma organização criminosa, que tem como membros altos dirigentes da entidade, funcionários, empresários e até políticos. O documento com 1024 páginas é assinado pelo presidente da CPI, senador Romário (PSB-RJ), e pelo senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP).

O relatório apresentado hoje contrapõe ao protocolado pelo relator, senador Romero Jucá (PMDB-RR), criticado por ser meramente propositivo. “De um lado, temos o relatório chapa-branca, que apenas traz sugestões genéricas e indolores, sem investigação, sem relatos de crimes, sem qualquer sugestão de indiciamento. Do nosso lado, podemos afirmar que se trata de um documento produzido com muito trabalho e seriedade. Nele, estão descritos com riqueza de detalhes diversos crimes e a forma como eles foram praticados pelos dirigentes da CBF, de Ricardo Teixeira a Marco Polo Del Nero, passando por José Maria Marin”, afirmou o senador Randolfe ao defender o relatório alternativo.

Os membros da CPI pediram vistas e a votação dos relatórios ficará para a próxima sessão deliberativa da comissão.
A partir de documentos obtidos com o departamento de Justiça dos EUA, com a Polícia Federal brasileira e outros fruto de quebras de sigilos dos investigados, Romário e Randolfe conseguiram identificar o modus operandi do que eles chamam de organização criminosa. Baseado nisso os senadores pedem no relatório o indiciamento de nove pessoas: dos ex-presidentes da CBF Ricardo Teixeira e José Maria Marin (preso), do atual presidente Marco Polo Del Nero, dos ex-diretor financeiro da entidade Antônio Osório Ribeiro, do diretor jurídico Carlos Eugênio Lopes, dos empresário Kleber Leite e José Hawilla (preso), do prefeito de Boca da Mata, Gustavo Dantas Feijó, e do deputado federal, Marcus Antônio Vicente.

“Podemos resumir o assunto afirmando que praticamente tudo o que a CBF fez, sob a direção dessas pessoas citadas, foi corrompido. Fornecimento de bens e serviços, contratos de patrocínio, contratos de jogos amistosos, transferências de jogadores, tudo virou esquema para receber vantagens, que proporcionaram uma vida de luxo a dirigentes que só trabalharam para eles mesmos”, afirmou o senador Randolfe durante a sessão.

Os pedidos de indiciamento estão baseados em infrações penais listadas nos capítulos referentes ao caso FIFA; ao financiamento não declarado de campanhas eleitorais pela CBF e a um acordo fraudulento juntado no Superior Tribunal de Justiça – STJ, tudo isso descrito em longos capítulos do relatório. Parte importante das provas foram obtidas a partir da troca de emails entre Marco Polo Del Nero e diversas pessoas obtidas na operação Durkheim e compartilhadas com a CPI, todos anexados ao documento.

Obstrução

O relatório também descreve a forte obstrução que as investigações sofreram por parte de parlamentares ligados a CBF, assim como de lobistas que trabalham para a entidade. Fato que impediu o prosseguimento de várias investigações.

Documentos serão encaminhados ao Ministério Público Federal e à FIFA.

nov 23

EUA SAIRÃO DA PARCERIA TRANSPACÍFICO, GARANTE TRUMP

O presidente eleito norte-americano Donald Trump, anunciará a retirada dos Estados Unidos da Parceria Transpacífico logo depois que tomar posse, em 20 de janeiro de 2017.

A Parceria Transpacífico é um acordo de livre comércio assinado em 5 de outubro de 2015, envolvendo 12 países banhados pelo Oceano Pacífico. Constitui a principal aposta do presidente Barack Obama para o desenvolvimento do comércio internacional.

Trump disse que a saída dos Estados Unidos da Parceria Transpacífico vai se dar por meio de uma notificação aos países participantes do acordo.

Informou que vai eliminar as atuais restrições à produção de energia, incluindo a produção de gás de xisto. Essas restrições se referem a controle ambiental.

Outra medida é proteger a infraestrutura dos Estados Unidos de ciberataques e outras formas de ataque.

No que se refere aos imigrantes, ele disse que vai orientar o Departamento do Trabalho para investigar “os abusos dos programas de vistos que prejudicam o trabalhador americano”.

nov 22

BRASÍLIA FEDE. O PARANOÁ ESTÁ APODRECENDO

O governador Rodrigo Rollemberg deveria tirar os dois últimos dias desta semana para discutir o apodrecimento do Lago Paranoá. Pare tudo! Pare tudo! Pare tudo!

Não há nada mais grave em Brasília do que isso.

Ele deveria transferir todo o governo, simbolicamente, para a margem do lago. E só sairia de lá quando houvesse uma proposta de solução.

Digo isso porque vivi drama semelhante na década de 80. Naquela época, o Lago Paranoá apodreceu. E a gente nem podia passar pelas pontes, de tanto cheiro ruim.

Na Redação do Correio Braziliense, discutimos esta emergência. O editor Fernando Lemos (saudade do FL!), propôs uma manchete assustadora:

BRASÍLIA
FEDE

Assim mesmo, em letras grandonas, na primeira página. Foi um choque. Será que vale? Será que a cidade suporta?

Na época, o Correio era monstruosamente forte em Brasília. A posição proposta pelo genial Fernando Lemos seria constrangedora.

Até que criou-se consenso na redação. E a manchete passou, entrando na história:

BRASÍLIA
FEDE

Os brasilienses acordaram para a emergência e o assunto virou prioridade.

Pouco tempo depois, assumi cargo estratégico no Governo do DF (Roriz, 1988).

Levei comigo Fernando Lemos, o autor da manchete BRASÍLIA FEDE. Finalmente, a gente estava no poder (não mais numa redação de jornal).

No governo, nos encontramos com gente vibrante, como Fernando Leite, Newton de Castro, Ivelise Longhi (creio que Arruda também) e muitos outros.

Juntos, contando com o entusiasmo do próprio Roriz, conseguimos mobilizar uma estrutura monumental para salvar o Lago Paranoá.

Dentro de algum tempo, as águas estavam limpas. Foram construídas duas caríssimas estações de tratamento de esgoto (Lago Sul e Lago Norte).

E esportes náuticos diversos nasceram e repercutiram no Lago de Brasília, onde hoje se situa a terceira frota náutica do Brasil.

Nos últimos meses, fala-se em até aproveitar a água do Paranoá para uso nas nossas torneiras.

Mas, assustadoramente, vem o governo Rollemberg nos informar, de repente, que o Paranoá está apodrecendo de novo.

Será que o Correio tem força para lançar uma nova manchete BRASÍLIA FEDE?

Será que adiantará alguma coisa?

Ou segue o enterro, sepultando nosso sonho de uma cidade diferente no mundo?

O governador Rollemberg precisa nos dizer se Brasília tem salvação. Já! (RENATO RIELLA)

nov 21

CAESB TOMA MEDIDA PARA REDUZIR CONSUMO DE ÁGUA

A Caesb informa que a partir desta quarta-feira (23/11) vai iniciar procedimentos de redução de pressão nas redes de água no período diurno, no horário de 7h às 19h, de forma a reduzir o consumo de água e ajudar na superação da crise hídrica.

A diminuição da pressão será feita nas cidades abastecidas pela Barragem do Descoberto, que se encontra com nível baixo.

O objetivo da Caesb é conseguir uma redução entre 5% e 10% no consumo da região, que, somada à tarifa de contingência já em vigor e com a chegada do período chuvoso, possa permitir um processo mais consistente de recuperação dos reservatórios.

A implantação do plano começa nesta quarta-feira pela cidade de Ceilândia, onde os técnicos ficarão por cerca de três dias fazendo os ajustes de válvulas e registros, de forma que a redução ocorra nos níveis desejados pela Companhia.

Feito isso, as equipes se deslocarão para outra cidade, conforme calendário já definido.

A diminuição de pressão nessas cidades deverá durar até que a Caesb considere o nível do reservatório do Descoberto em condição de oferecer segurança para o abastecimento.

O plano de redução de pressão seguirá o seguinte calendário de implantação:

23/11 – Ceilândia

28/11 – Vicente Pires, Colônia Agrícola Samambaia

02/12 – Samambaia

07/12 – Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria

12/12 – Águas Claras, Arniqueiras, Taguatinga, Riacho Fundo I

14/12 – Park Way, Candangolândia, Núcleo Bandeirante

Mais informações estão disponíveis no sitehttps://www.caesb.df.gov.br/8-portal/noticias/551

nov 21

EPA! PREVISTA QUEDA DA ECONOMIA DE 3,40% ESTE ANO

A projeção de instituições financeiras para a queda da economia (Produto Interno Bruto – PIB), este ano, foi aumentada para 3,40%. Esta é a previsão na pesquisa semanal que o Banco Central faz com especialistas da área econômica.

Para 2017, a expectativa de crescimento positivo caiu de 1,13% para 1%.

A expectativa para a taxa básica de juros, a Selic, permanece em 13,75%, ao final deste ano, e em 10,75% ao ano, no fim de 2017.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia.

nov 21

BOA NOTÍCIA: PREVISTA INFLAÇÃO DE 6,80% EM 2016

As instituições financeiras consultadas semanalmente pelo Banco Central (BC) ampliam o otimismo sobre a inflação que fechará o ano de 2016.

A estimativa de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu para 6,80%, de acordo com a pesquisa Focus, divulgada às segundas-feiras pelo BC.

Para 2017, a estimativa foi mantida em 4,93%.

As projeções de 2016 e 2017 ultrapassam o centro da meta, que é 4,5%. O teto da meta é 6,5% este ano, e 6% em 2017.

Posts mais antigos «