fev 20

PREVISTA INFLAÇÃO DE APENAS 4,43% ESTE ANO

A projeção de instituições financeiras para a inflação, neste ano, continua a cair.

A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu pela sétima semana consecutiva, ao passar de 4,47% para 4,43%.

A estimativa está abaixo do centro da meta de inflação, que é 4,5%.

Para 2018, a estimativa para a inflação segue em 4,5%.

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país), este ano, foi mantida em 0,48%.

Para o próximo ano, a expectativa é que a economia cresça 2,3%, a mesma estimativa da semana passada.

 

fev 20

TAXA OFICIAL DE JUROS PODE CAIR PARA 12,25% NESTA SEMANA

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) esperam que a taxa básica de juros, a Selic, caia dos atuais 13% ao ano para 12,25% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para esta terça e quarta-feira (22).

Com a inflação em queda e a economia em recuperação, as instituições financeiras esperam por mais cortes na taxa básica nas reuniões seguintes do Copom.

Para o mercado financeiro, a Selic encerrará 2017 em 9,5% ao ano e 2018 em 9% ao ano.

fev 20

FINALMENTE O GDF RESPONDE ÀS CRÍTICAS SOBRE O PARQUE DA CIDADE DE BRASÍLIA

Há muitos anos, há diversos governos, escrevo de forma dura sobre o abandono do Parque da Cidade de Brasília, especialmente pelo estado dos banheiros, que na maioria vivem com cadeados já enferrujados nas portas.

Nunca ninguém do GDF me deu qualquer resposta, fingindo não ler essas minhas críticas (só fingindo, pois lêem sim).

De repente, recebi amplo esclarecimento do secretário de Turismo, Jaime Recena. Já é um grande avanço.

Por isso, divulgo com destaque os esclarecimentos do Recena, esperando que as coisas possam melhorar no nosso Parque.

JAIME RECENA FALA SOBRE O PARQUE

“Já é de conhecimento público que assumimos um Estado à beira da falência. No Parque não foi diferente, mas com empenho diário estamos fazendo algumas ações importantes.

Não é justo dizer que o Rollemberg recebeu a nova pista encaminhada. Isso não é verdade. A obra estava parada por falta de pagamentos à empresa licitada e não previa iluminação. Pasmem, isso mesmo, licitaram e “esqueceram” que temos um grande número de frequentadores noturnos. A nossa gestão colocou o contrato em dia e fez a iluminação.

Desde 2015, nós já realizamos os seguintes reparos:

– 7 vasos sanitários
– 30 portas de banheiros e vestiários
– 8 pias
– 20 globos de lâmpadas
– 3 estações pichadas
– 2 estações com cadeados arrombados
– 15 bancos e mesas de concreto
– 5 registros de duchas
– 5 pontos de encontro comunitário
– 3 circuitos inteligentes de malhação
– 106 torneiras de plástico das churrasqueiras
– 2 resistências de chuveiros roubadas
– 60 reparos de descarga de vaso sanitário
– 15 torneiras de pias
– 20 registros de duchas
– 30 bicos de bebedouro
– 10 registros de água

Tudo isso foi necessário não por desgaste natural, mas sim pela ação de pessoas, vândalos, que não respeitam a sociedade. Aliás, gostaria de sugerir esse tema para você escrever algo um dia. Estes, são os principais inimigos do Parque da Cidade.

Além desses reparos, realizamos a recuperação e pintura dos brinquedos do parque Ana Lídia, inclusive o famoso “foguetinho”.
Recuperamos também os banheiros e instalamos dois brinquedos para crianças com deficiência. Isso pela primeira vez na história. Essas crianças que antes eram excluídas, agora possuem brinquedos adaptados para as suas condições. Você precisa passar um dia lá e ver a felicidade delas.

Criamos mais uma entrada de acesso ao Parque, demanda antiga da comunidade do final da Asa Sul e neste momento estamos realizando uma grande obra de recuperação das calçadas. Serão 2074 metros. Iniciamos pelas imediações do estacionamento 09 e de lá seguiremos. A previsão de termino é em abril deste ano, a depender da quantidade de chuvas até lá.

Outra grande conquista foi a publicação nesta semana no Diário Oficial da autorga pela ADASA para a criação de um poço artesiano no parque. Entre outras coisas irá permitir que o Lago se mantenha no nível adequado durante todo o ano e principalmente uma redução gigantesca com o gasto de água, que em alguns anos ultrapassou os 500 mil reais. Ou seja, economia de dinheiro público.
Ainda nessa linha, já substituímos quase 100% das lâmpadas por outras de Led e para este ano está prevista a colocação de placas de energia solar, na direção de termos cada vez mais um parque sustentável.

Não é só em recuperação que essa gestão avançou, mas também na ocupação por eventos que incentivamos semanalmente.
Destaco o Circuito de Jazz do Banco do Brasil, da recuperação da piscina de ondas como palco de eventos culturais e o mais recente, a reabertura da rampa acústica, local que foi celeiro de grandes artistas de rock da nossa cidade na década de 80. Por lá passaram Cassia Eler, Renato Russo, Plebe Rude e o famoso “Projeto Cabeças”, entre outros famosos.

Com relação a um possível site sobre o parque, nós optamos por criar uma página no Facebook, que já conta com mais de 17 mil seguidores.

Por fim gostaria de antecipar a você que em março lançaremos a campanha “Abrace o Parque”, uma iniciativa nossa para convocar a sociedade e usuários no combate aos atos de vandalismo e buscarmos ainda mais melhorias.
Gostaria muito de ter o seu apoio nesse projeto e no momento oportuno lhe apresentar para possíveis contribuições. (JAIME RECENA)

fev 19

RADUAN E O MINISTRO COMUNISTA, DOIS “NADA À ESQUERDA”

Nunca ouvi falar antes em Raduan Nassar. São 99,999% dos brasileiros os que estão igual a mim.

Dizem que é um grande escritor, já razoavelmente velho. Muito prazer, mestre!

De repente, Raduan recebeu um grande prêmio literário do governo. Dizem que foi 100 mil reais! Grana pra cacete!

Na entrega do prêmio, o desconhecido escritor fez um discurso demolidor. Parece que defendeu Dilma, atacou Temer, etc. Deve ter falado mal até do Sérgio Moro.

Onde estava este velhinho desde junho de 2013, quando o Brasil foi para as ruas pedir mudanças?

Aliás, nos meus 50 anos de atividades intensas na mídia, nos meios literários e na política, onde se escondeu este Raduan?

Costumo dizer, de forma bem pretensiosa: no Brasil, se nunca ouvi falar de alguém, este alguém não existe.

Para completar, ele mereceu um discurso deselegante do ministro da Cultura.

Quem é mesmo este ministro da Cultura e o que já fez pela cultura do Brasil? O que acha do fechamento da Orquestra Sinfônica de São Paulo? Como se sente ao ver o Teatro Nacional de Brasília em ruínas?

Portanto, parem de falar deste assunto. Raduan e o ministro da Cultura, uma múmia comunista, merecem uma pá de cal. Xô! (RENATO RIELLA)

fev 19

O PARQUE DA CIDADE DE BRASÍLIA É UMA VERGONHA LINDA

iparque 1iparque 2Um Parque para todos.

 

 

 

 

 

Conheço Rodrigo Rollemberg há um tempão. Fiz campanha aberta pela eleição dele, mas é impressionante como realiza as coisas ao contrário. Na contramão do que o povo (nós) queremos.

Mas não temos outra opção. O jeito é torcer por ele, que tem quase dois anos de mandato ainda. Ufa! Ufa!

No ano passado, numa mesa de jantar, depois da meia-noite, pude conversar com o governador durante quase uma hora. Mas fui ameno. Não enchi o saco.

Disse a ele que havia feito, de manhã, o trajeto de 10km do Parque da Cidade, mas fiquei impressionado com o abandono do local.

Rodrigo falou com orgulho da nova pista destinada aos ciclistas. Não contestei claramente, mas lembrei que recebeu a pista bem encaminhada do governador anterior, o chamado Agnulo.

Expliquei a Rodrigo que sou um dos maiores conhecedores do Parque, onde já estive milhares de vezes, nesses 40 anos, sempre observando tudo e fazendo críticas.

Falei a coisa mais importante: passam pelo Parque, todo mês, mais de 500 mil pessoas, quase todos eleitores. Num fim de semana, passam cerca de 100 mil brasilienses.

O Parque poderia eleger mais de dez deputados distritais. Mas esses políticos são tão insensíveis (burros, mesmo), que não existe sequer um deles reconhecido como o grande defensor do Parque da Cidade.

Na longa conversa, disse a Rodrigo que o Parque da Cidade não tem sequer um site simples, estático, feijão-com-arroz, onde a gente pudesse ver a programação da semana. Resposta dele: “Ah! É!”

Um ano depois, o Parque permanece sem site e sem nada. Quem é o diretor?

Sugeri de forma firme ao governador que nomeasse para diretor daquele local incrível um atleta ligado à cidade. Falei na corredora Carmen de Oliveira, no judoca de fama internacional Tranquilini ou mesmo no meu amigo João Leal, carateca e maratonista. Ou qualquer outra. Será que Joaquim Cruz não aceitaria este convite.

Rollemberg ficou sensibilizado com minha sugestão – que é ótima. Mas um ano depois o Parque permanece sem pai nem mãe.

Ontem, sábado, cumpri meu trajeto padrão de 10km. Fez sol e o Parque estava lotado. Ando firme nas subidas e corro firme nas descidas. Voltei pra casa em ótima forma, mas muito triste.

Vi um episódio horrível. Uma coroa exuberante, ao lado de um marido discreto, passou por três banheiros quebrados e começou a xingar alto o meu amigo Rodrigo Rollemberg (sobrou até para a mãe do governador). Constrangedor!

Mas, aqui nesse Face, tenho reclamado dos últimos governos e do atual que os banheiros do Parque vivem com cadeado nas portas, interditados. Todos os governos foram péssimos!

Meu Deus! Consertar um banheiro é coisa tão fácil e tão barata! As instalações estão lá. Se houvesse um diretor no Parque, a gente fazia uma vaquinha dominical e dava a grana para ele realizar este serviço. Mas quem manda no Parque?

A propósito, muitas árvores estão despencando seus galhos na pista de pedestres. Por amor de Deus, nem podar árvores esses caras sabem fazer?

O Parque dos 500 mil eleitores é muito mais decisivo para um político que o Teatro Nacional. Acordem, deputados e secretários! Os votos pululam no Parque da Cidade!  (RENATO RIELLA)

fev 16

O SOFRIMENTO DE UM REPÓRTER TÍMIDO

No Dia do Repórter, conto como sofri muito na Bahia, por causa da minha extrema timidez.

Lembro que o chefe de reportagem, Lins, marcou entrevista com um médico famoso de Salvador, sobre a cura do câncer. Oba! Fui pautado para fazer a entrevista – com apenas 18 ou 19 anos….

Subi ao terceiro andar, pela escada, morrendo de medo. Passei quatro ou cinco vezes em frente à porta do consultório. Observei bem a secretária velha do médico, em animada conversa com alguns clientes.

De repente, tomei distância, respirei fundo e entrei, gaguejando: “Boa tarde, sou repórter do Diário de Notícias!”

-Finalmente, finalmente! Ele está lhe esperando. Pode entrar, pode entrar! Como é mesmo o seu nome?….

Fiz uma ótima matéria. E fiquei amigo do cara, bem mais velho.

Minha mãe, Cecília, morria de pena de mim, por essa timidez. Falava assim: “Imagine um repórter tímido!”

Nesses 50 anos, melhorei um pouquinho, mas continuo passando quatro ou cinco vezes numa porta até ter coragem de entrar. Ufa! (RENATO RIELLA)

fev 16

O BUG DO MILÊNIO FOI PIOR DO QUE O METEORO

Sobre o “fim do mundo”, lembro do ridículo “Bug do Milênio”.

Os muito jovens nem vão acreditar, mas há 17 anos cientistas diversos previram situação dramática universal, na passagem do ano de 1999 para o ano 2000.

Todos os computadores do mundo não estariam preparados para esta mudança de século. Essas máquinas iriam pirar, parar, se desprogramar, gerando efeitos terríveis. Podia acontecer de tudo.

As centrais nucleares gastaram milhões. As grandes fábricas e grandes bancos, também.

Meses antes da data fatal, trouxe à Fecomércio-DF um expert da Inglaterra, que orientou os empresários brasilienses sobre o investimento a ser feito nos seus sistemas.

Esse carinha inglês chegou a dizer que até os aparelhos de microondas seriam afetados. À meia-noite do dia 31 de dezembro de 1999, ninguém deveria viajar de avião, pois essas aeronaves poderiam ter trauma geral nos seus sistemas. Etc, etc, etc.

Foi pior do que o meteoro, pois a gente não levou as ameaças na brincadeira. Todos nós desligamos tudo antes da meia-noite. Prevenção total!

Sabem o que aconteceu? Merda nenhuma.

Dizem que em algum lugar do mundo um computador pifou. Não conheci nenhum caso concreto.

E muitos milhões foram jogados fora.

Nos dias seguintes, nós todos, bobões, nem falávamos no assunto, para não dar atestado de incompetentes.

Já o meteoro, reconheço, alegrou o dia de hoje. Que volte a nos divertir nos anos seguintes. (RENATO RIELLA)

fev 16

E AÍ? VOCÊS JÁ ESQUECERAM O ESPÍRITO SANTO?

O Espírito Santo saiu do noticiário, assim como aconteceu com os presídios. Mas o drama permanece nessas duas situações.

Sobre a crise presente do Espírito Santo, o governador Hartung precisa estudar esta matéria de hoje do jornal A Gazeta, de Vitória.
Não ficou pedra sobre pedra na PM.

SITUAÇÃO DRAMÁTICA NA POLÍCIA MILITAR

Ir para as ruas nunca foi tão difícil. Choro, desmaio, estresse e depressão: cenas vistas no último sábado, quando policiais militares começaram a voltar às atividades depois de uma semana parados, colocaram em evidência um quadro antigo e pouco conhecido – o abalo emocional de pessoas que vivem para proteger a comunidade da violência.

Centenas de PMs foram parar no Hospital da Polícia Militar (HPM) no último final de semana, 120 só no sábado. O número não para de crescer, revela o major Rogério Fernandes Lima, presidente da Associação dos Oficiais Militares do Espírito Santo (Assomes), ao afirmar ainda que tem buscado ajuda tanto para aqueles que estavam aquartelados e decidiram sair dos batalhões quanto profissionais que foram convocados a abandonar as folgas ou férias para reforçar o patrulhamento até então escasso devido à paralisação da categoria.

“Quem voltou para o serviço tem sido hostilizado. É chamado de traidor e de vergonha para a corporação. Atitudes assim contribuíram para o aumento do estresse”, conta o major Rogério.
Membro do Conselho Regional de Psicologia do Estado (CRP-ES), Carolina Roseiro admite ter encontrado no HPM uma situação preocupante ao visitar o local no último domingo.

“Ali há uma situação de emergência psiquiátrica, com alto nível de
sofrimento, tensão e ansiedade. Eles estão vivendo o trauma de voltar para as ruas sem conquistar as condições de trabalho desejadas, tendo ainda que lidar com o julgamento da sociedade não por estarem certos ou errados, mas sendo questionados sobre o próprio papel da PM na segurança da população.”

A psicóloga explica que o tema deve ser discutido no âmbito da saúde pública por ter escancarado um problema de adoecimento grave não vivenciado em categorias que também atuam sob estresse. “Não é um caso isolado. Houve uma ruptura que tem fragilizado a autoimagem construída por esses profissionais”, opina, ao acrescentar a importância de um programa para cuidar da saúde mental dos policiais.

A psicóloga Penélope Zecchinelli também concorda sobre a relevância de prevenir doenças psíquicas, mas diz haver resistência de muitos profissionais em pedir socorro. “Há certa vergonha de se fazer terapia por conta de uma cultura que os oprime e os impede de se cuidar. Talvez o que aconteceu seja uma brecha para se tratar a mente e se recuperar sem ter ninguém apontando o dedo”, analisa.

Para ela, assim como toda a população que está perturbada e que deve demorar para se livrar do pânico, os policiais também vão levar mais tempo para processar o que aconteceu. “Alguns PMs eram um barril de pólvora. Eles enfrentam todos os dias o pior do ser humano que é a violência, um alto estresse. Quando eles começaram a sair dos quartéis, a adrenalina mais baixa causou toda essa descarga de pressão. No dia a dia, o organismo tira forças de onde não existe para dar conta dessa pressão, mas um dia tudo desaba de uma vez.”

A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) não informou quantos policiais deram entrada no HPM nem informou quantos tiveram alta. Apenas disse que os profissionais são avaliados por uma junta médica.

Especialista vê estresse pós-trauma

Estresse pós-traumático é o que profissionais da PM têm sofrido na visão da psicóloga e terapeuta do sistema familiar Cássia Rodrigues. Cobranças de dentro da corporação e da sociedade, que se sentiu abandonada, podem ter provocado esse cenário. “Os policiais vivem no linear do estresse e precisam de um acompanhamento para evitar surtos coletivos como esse que temos visto. O que estão passando não é frescura.”

Cássia explica que nem todas as pessoas são resilientes, capazes de sobreviver a traumas, por isso um serviço de prevenção deve ser feito com a categoria.

Preocupados com o que está ocorrendo com os policiais, o Comitê Estadual de Prevenção e Erradicação da Tortura, ligado aos Direitos Humanos, vai investigar se houve abuso com os aquartelados ou com aqueles que estavam de folga. O coordenador do comitê, Gilmar Ferreira de Oliveira, explica que é necessário rigor investigativo para saber se essas pessoas sofreram tortura emocional para retornarem aos seus postos. “Temos que saber se as denúncias são verdadeiras para buscar punição aos responsáveis.”

Policiais sem condições de portar arma

Um policial militar, que não quis se identificar, esteve no Hospital da Polícia Militar (HPM) na noite de domingo, dia 12, e na manhã da última segunda-feira, dia 13. Ao portal G1, ele contou que foi até o local depois de saber que um militar, amigo dele, estava internado na unidade porque havia “surtado”.

Com o celular, ele conseguiu filmar os corredores do hospital lotados. Em um trecho do vídeo, é possível ver uma mulher, com uma camisa de identificação da PM, sentada no corredor e chorando.

“Corredores extremamente lotados, colegas completamente abatidos. Olho fundo, alguns com tremedeira, tomando soro, provavelmente porque fizeram escala de serviço seguida. Alguns estiveram na rua e passaram mal com o excesso de carga horária, além do estresse. Todos alegam que não estão em condições psicológicas de portar arma em serviço, porque sofreram muita pressão”, disse o policial.

Outro vídeo mostra uma policial militar sendo carregada no colo e, em seguida, colocada em uma maca. Uma outra gravação mostra alguns policiais fardados sentados, com as mãos na cabeça, dentro do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar.

fev 16

UFA! PEGARAM O FAMIGERADÍSSIMO LUIZ OTÁVIO

A Polícia Federal tarde, mas não falha. A operação de hoje, em busca do ex-senador Luiz Otávio, já era esperada há décadas. Este paraense abusou da “sorte” durante anos.

De tão corrupto, ele foi nomeado ministro do Tribunal de Contas da União, nos governos petistas, mas não conseguiu assumir.

O pessoal do Tribunal ameaçou parar tudo se ele entrasse no TCU. Todo mundo sabia que o então senador era um terror – e ninguém fez nada.

Mas agora…

fev 16

AO REPÓRTER, NO SEU DIA: DÊ UMA SOLENE BANANA AOS “ÉTICOS”

repDizem que hoje é o Dia do Repórter.

Que merda, agora tem dia de tudo. Mas vamos lá!

Jornalismo é a arte de dar visão própria ao fato.

As definições “éticas” tentam esconder isso.

Quando você olha para o céu, vê o universo que a sua lente lhe permite identificar (milhares ou centenas de estrelas).

O cara do telescópio mais potente diz que são trilhões de estrelas. Quem está errado?

Cada um de nós, quando relata algo, está mostrando o que consegue ver.

Não existe jornalismo isento – nem com “caráter”, nem “ético”.

Os teóricos enganam a si mesmo quando escrevem bobagens, tentando criar regras morais para o jornalismo. São uns bobões, que nunca foram à Feira do Rolo da Ceilândia ou às zonas de meretrício de Salvador, à meia-noite.

Veja: você cobre um jogo de futebol. O colega do lado viu impedimento; você não viu. Quem é o “sem caráter”?

Você acha que algum dos dois foi subornado para mentir? Não. Cada um viu de uma forma – e pode ter havido mesmo uma influência da preferência clubística, mas isso é uma falha do olho humano, bastante compreensível e emocionante.

É claro que existe uma minoria de “jornalistas” comprados, mas não vale a pena discutir esses. São negociantes!

A quase totalidade dos repórteres escreve do jeito que sentiu a notícia. Os daltônicos vêem menos cores, infelizmente. Se não podem dirigir aviões, felizmente podem fazer reportagens.

A visão diferenciada esteve presente, agora, na crise dos policiais militares do Espírito Santo. Todas as versões publicadas estão certas, pois todos os atores da crise estão errados.

No Brasil, vivemos situação parecida. Falar de coxinhas e mortadelas é mera visão pessoal distorcida. Está tudo perdido! E coitado de quem se situar num desses podres lados. Mas como condená-los?

Ficou difícil ser repórter no Brasil, com tanto patrulhamento. Mas isso sempre houve.

Meu conselho ao jornalista novo: escreva do jeito que você viu. E dê uma banana para os fiscais da “ética”, gente sem estética nem sensibilidade – só preconceito..

No início da minha carreira, há 50 anos, os comunistas diziam que eu era de direita, por defender projetos da livre iniciativa.

E os velhos da direitona, na redação, me chamavam de “esquerdinha”, por causa de matérias duras, de cunho social, que sempre fiz.

Hoje vejo que fiz certo, ao dar sorridentes desprezos para os dois lados, que agora estão unidos para nos roubar.

Nessas cinco décadas, andei fortemente ameaçado de morte por esquerda-direita – mas sobrevivi muito bem, e até ganhei um Prêmio Esso Nacional de Jornalismo!!!!

“Ética” são conselhos que os caras mal intencionados tentam nos impor – mas eles nunca cumprem isso na sua vida pessoal.

Se a gente respeitar as leis, já está muito bom. Passa a ser um mundo quase real, quase ideal.

Na dúvida, medite ao rezar um Pai Nosso. Livrai-nos do mal, amém.

(RENATO RIELLA)

fev 15

LULA ELEITO? NÃO ACREDITE NAS ANÁLISES DISTORCIDAS

A pesquisa CNT está mal interpretada. Diante dos nomes apresentados, fraquíssimos, Lula atinge um máximo de 30%, que não dá para eleger ninguém.

Ele poderia até ir para um segundo turno, se os candidatos forem fracos, mas nada indica que possa vencer um segundo turno.

O risco é haver a apresentação de candidatos tão vagabundos, tão monstruosos, que 30% possa vira 50% num segundo turno.

Mas será que nós, brasileiros, seremos tão incompetentes na indicação de um nome de respeito?
Esta é a questão.

Se ocorrer na eleição presidencial um segundo turno tão horroroso como aconteceu na Prefeitura do Rio, aí o jeito é desistir do Brasil, porque a quantidade de votos perdidos será enorme.

Portanto, não acredite em quem disse que Lula está eleito.
Nada indica isso, hoje.
(RENATO RIELLA)

fev 14

ÁGUA DO PARANOÁ VAI MESMO PARA AS TORNEIRAS DOS BRASILIENSES

A seca em Brasília está preocupando muito e o Lago Paranoá, que está quase um metro abaixo da sua capacidade normal, pode ser usado para fornecer água à nossa população.

O plano de trabalho para captação emergencial de água no Paranoá foi entregue pelo governador Rodrigo Rollemberg ao ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

A expectativa é que a verba — avaliada em R$ 55 milhões — seja liberada num prazo de 20 dias, tempo estimado para que os técnicos da pasta possam avaliar e emitir parecer sobre o documento.

Até lá, espera-se que chova muito e que o Paranoá recupere a sua reserva normal de água, que às vezes obriga até o governo a abrir as comportas da barragem para reduzir o volume acumulado.

A proposta é captar 700 litros de água por segundo por meio de seis tanques e, com isso, reforçar o abastecimento nas regiões administrativas atendidas pela Barragem do Descoberto.

Após iniciada a intervenção, no Lago Norte, o prazo de conclusão da obra é de 180 dias.

fev 14

A MAIS INCRÍVEL HISTÓRIA POLICIAL

Tenho DNA como repórter de polícia, mas nunca vi nada igual. E no DF…

Uma mulher queria morrer, tentou suicídio algumas vezes. Resolveu contratar um cara para matá-la.
Deu a esse cara o próprio carro, como pagamento.

Ora, o malandro saiu por aí de carro e esqueceu de fazer o serviço. Sumiu-se!

De forma supersurrealista, a mulher foi ao juiz pedir que o cara devolvesse o carro, já que não fez o serviço contratado.

Sabem o que aconteceu?
A mulher perdeu a causa na justiça.

Agora, provavelmente, vai morrer de raiva.

E Brasília está sendo falada em todo o mundo.
Nunca nenhum repórter de polícia viu algo tão incrível.

Detalhe: a estranha mulher vai agora receber muitas propostas de matadores, que existem aos montes por aí – e bem baratinhos.

Pensando bem, ela podia ser condenada, por tentar induzir alguém ao crime. Quem sabe se, na Papuda, não pega gosto pela vida.

Depois vocês leem Nelson Rodrigues e acham que ele exagera. A vida supera sempre a arte, garotos e garotas.
(RENATO RIELLA)

fev 13

PM DO ESPÍRITO SANTO GANHA MUITO MAL

Levantamento do G1 mostrou que o salário inicial de um PM no Espírito Santo é de R$ 2.646, o menor de todo este imenso Brasil.

Sabem qual o salário maior?
O de Brasília, com R$ 6.500, onde aconteceram anos antes as operações-tartaruga.

fev 13

DOIS BRASIS A CAMINHO DE UM MASSACRE

Vamos lá! Precisamos rezar para ter uma semana normal. Uma semana não mais do que normal!

Mas qual é a chance?
Hoje, no Brasil, há dois lados que estão marchando para um grande confronto.

De um lado, há um Brasil revoltado diante de barbaridades da direita e da esquerda, sabendo que estas duas partes agem unidas num furor bandido, que sacrifica mais de 90% da população.

De outro lado, há uma minoria mandante apavorada, de esquerdistas ou direitistas, a qual sabe que acabará na cadeia ou será enforcada pela chamada turba.

Quem imaginar outro cenário. favor definir claramente.

fev 13

PREVISTA INFLAÇÃO DE APENAS 4,47%, ABAIXO DO CENTRO DA META

 

O mercado financeiro reduziu pela sexta semana seguida a projeção para a inflação, este ano. Desta vez, a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 4,64% para 4,47%, abaixo do centro da meta, que é 4,5%..

As estimativas fazem parte do boletim Focus, uma publicação semanal elaborada semanalmente, pelo Banco Central (BC), com base em projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Para 2018, a estimativa para o IPCA segue em 4,5%, há 29 semanas consecutivas.

A meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC é 4,5%, com limite de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior da meta é 3% e o superior 6%.

 

PREVISTO CRESCIMENTO DO PIB DE 0,48%

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) este ano, foi ajustada de 0,49% para 0,48%. Para o próximo ano, a estimativa foi alterada de 2,25% para 2,30%.

Para as instituições financeiras, a Selic encerrará 2017 em 9,5% ao ano e 2018 em 9% ao ano. Atualmente, a Selic está em 13% ao ano. A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação. (AGÊNCIA BRASIL)

 

fev 13

ESPÍRITO SANTO VULGO GRÉCIA

O governador do Espírito Santo tentou instalar, em pleno Brasil, o modelo que o FMI aplicou na Grécia – e deu no que deu.

Esta comparação com a Grécia estará presente na vida brasileira, nos próximos meses, em outros estados e talvez no DF.

Mas é preciso que os escalões superiores cortem também na própria carne. Veremos isso na hora de discutir a reforma previdenciária e a reforma trabalhista.

Como apertar a corda no pescoço dos pobres PMs e outras categorias mantendo situações absurdas em assembleias, tribunais, tribunais de contas, procuradorias e áreas nobres do Executivo?

O modelo FMI rediscute tudo. Ninguém fica de fora. Mexe nos privilégios que surripiam o Estado. Caso contrário, teremos uma Grécia piorada. (RENATO RIELLA)

jan 30

TAXA DE JUROS PODE CAIR PARA 9% EM 2018

O mercado financeiro projeta que a Selic, a taxa básica de juros da economia, chegará a 9% ao ano em 2018. Para 2017, está mantida a projeção da Selic em 9,5% ao ano.

O mercado também prevê que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficará em 4,7% este ano, perto do centro da meta: 4,5% com dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

As estimativas estão no boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC) feita com instituições financeiras.

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – PIB, a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) em 2017 permanece em 0,50%.

jan 29

ATO DE AMOR NO BLOCO H DA 312 SUL

Mais de 300 pessoas estiveram hoje de manhã no Bloco H, da SQS 312, na Asa Sul de Brasília, fazendo um rolezinho infantil, recheado de crianças.

Parecia um ato romântico, meio infantil. Mas, na verdade, foi uma ação de protesto que consolida a preservação do Plano Piloto de Brasília, projeto criado pelo genial arquiteto Lúcio Costa e tombado pelo Patrimônio Histórico da Humanidade – vejam bem, da Humanidade!

O condomínio deste bloco, nas suas resoluções formais, proibia que os filhos dos moradores brincassem no playgound. Horrorizada, uma mãe reclamou no Facebook.

A sociedade de Brasília se indignou. Até mesmo porque essa prática podia se disseminar – e o projeto humanístico da cidade iria para o lixo.

Foi emocionante ver que o Condomínio do Bloco H fez autocrítica da sua posição e aceitou o rolezinho, chamado pela população de Brincalhaço, com muito amor.

Com amor, mesmo! No Bloco H, os manifestantes foram surpreendidos com faixas de Boas-Vindas.

E mais: o condomínio ofereceu, de graça, pipoca e algodão doce para meninos e meninas – inclusive para as duas crianças do bloco antes proibidas de descer com bonecas, velocípedes, pequenas bicicletas e bolas.

Brasília mostrou que é uma cidade extremamente civilizada (espero que essas cenas passem hoje no Fantástico).

Tudo de ruim que cerca a nossa cidade não envolve a nossa população, educada e solidária, que respeita as faixas de pedestre, mantém gramados verdejantes, deixa de buzinar no trânsito e mantém um nível de respeito bem razoável em relação aos seres humanos.

No meio da confusão, uma amiga me ligou dizendo que a síndica do Bloco H é gente boa. Acreditei na afirmação, agora confirmada, depois do desfecho feliz do protesto. Não há vilões nessa história!

Um outro amigo, brincalhão, chegou a prever que a Polícia dispersaria as crianças com gás de pimenta. Por alguns segundos até temi isso. Mas felizmente tivemos um momento de amor na cidade construída por JK.

Deus proteja a todos nós, que somos gente muito legal. Muito legal, mesmo, viu! (RENATO RIELLA)

jan 28

VAI TER MESMO ROLEZINHO NA 312 SUL (Matéria do site Metrópoles)

As regras rígidas de convivência de um bloco da Asa Sul, no
centro de Brasília, reacenderam um debate polêmico sobre a utilização dos espaços públicos e privados da capital federal.

Na última semana, duas crianças de 2 e 4 anos foram proibidas de brincar no pilotis – área vazada e de circulação livre, embaixo dos prédios – com base no regimento do edifício, escrito em 1971.

O caso ganhou as redes sociais, onde moradores de diversas regiões do DF organizam um “brincalhaço” embaixo do prédio neste domingo (29).

O evento já tem mais de duas mil pessoas confirmadas.

Nesta sexta, a síndica do bloco H da 312 Sul não quis gravar entrevista, mas afirmou à TV Globo que mantém a decisão, e que a área não é pública. Governo e especialistas discordam da postura.

As crianças que foram impedidas de brincar embaixo do bloco são filhas da arquiteta Larissa Villela, que se mudou para o prédio no mês passado.

Larissa conta que chegou a contestar as regras em uma reunião de condomínio, mas foi informada de que “qualquer atividade, aglomeração ou reunião no pilotis” deve ser previamente autorizada, como consta no regimento.

“Minhas filhas desceram para brincar de boneca, e proibiram. Falaram que não podia descer com nenhum tipo de brinquedo. A babá recolheu e elas começaram a correr, mas disseram que também não podia”, conta.

Em conversa com a TV Globo, a síndica afirmou que até concorda com a livre circulação de pessoas na área embaixo dos apartamentos, mas considera que esse espaço é do prédio.
Ela também disse acreditar que as crianças “oferecem risco” ao deixar os brinquedos no chão, onde as pessoas podem escorregar, e que fazem muito barulho.
Lei garante uso
A posição pessoal da síndica – e o regimento que ela usa como justificativa – contrariam a Constituição Federal, a Lei Orgânica do Distrito Federal e os conceitos usados por Lúcio Costa no planejamento da cidade. O regimento afirma, entre outras coisas, que empregados domésticos e funcionários não podem usar o elevador social.
Por lei, os pilotis são definidos como área pública – por isso, são de livre circulação e convivência de todos.
As normas de edificações no Plano Piloto preveem que apenas 40% desse espaço podem ser ocupados por pilastras, guaritas, prumadas e cômodos fechados.
O restante precisa estar livre, sem grades, cercas-vivas ou qualquer outro impedimento.

Posts mais antigos «