abr 18

OPINIÃO: ENTENDEDORES, ENTENDERÃO!

LEILIANE REBOUÇAS

É lamentável como no governo de Brasília existem pessoas despreparadas e insensíveis para a preservação do patrimônio arquitetônico da cidade. Ao longo dos anos, assistimos aos vários equívocos feitos em Brasília cujos efeitos são devastadores para a estética da capital federal.

São pequenos equívocos aqui e ali que vão “estragando” Brasília aos poucos. Frutos da ignorância governamental sobre a sua concepção.

Assim, vemos uma torre de TV com a pintura completamente diferente do que originalmente era, e que dá a impressão que o prédio está de saias, ou de meias.

Assim também é a iluminação feita pela CEB que destruiu todo o conceito do jogo de sombras e luzes que o Lúcio Costa concebeu para a Praça dos Três Poderes, Esplanada e todo o eixo monumental para valorizar a arquitetura de Oscar Niemeyer.

Quem conhece bem a história de Brasília sabe que Peter Gasper está para a iluminação da obra de Niemeyer assim como Joaquim Cardoso está para a estrutura de suas obras.

Mas, esse projeto técnico foi totalmente modificado pela CEB que tornou as áreas turísticas da cidade numa profusão de postes espetados em frente aos monumentos ferindo de morte a paisagem tombada. E, ainda, mantendo a Praça dos Três Poderes numa escuridão.

E o que falar das árvores plantadas em locais indevidos?

Falta sensibilidade e conhecimento nos órgãos governamentais. A escuridão da Praça revela a escuridão nas mentes políticas e gestoras do patrimônio e do turismo na capital federal.

abr 18

VELHICE É UM PLANETA ONDE VOCÊ PODE NÃO QUERER POUSAR

Vi a foto da maratonista de 70 anos, bonita, que foi destaque hoje na imprensa.
E fiquei pensando sobre velhice…

Breve poderei me considerar velho. Mas acho que há uma estética na velhice, que a gente precisa buscar.

Um dos meus focos de admiração é Fernanda Montenegro. Mas esta é comportada, bem cuidada, talvez até levemente produzida pela Globo.

Pensei em dois outros, que expõem suas marcas de velho com muita irreverência, sem reclamar da vida como Rita Lee (indevidamente) vem fazendo.

Esses dois são Tomzé e Fernando Gabeira. É claro que levam a vantagem de permanecerem muito magros, o que dá elegância nas roupas muito esportivas que vestem.

Mas, na verdade, a estética deles vem da cabeça, com uma produtividade irreverente, que nos faz vê-los como jovens.

Portanto, velhice é um planeta onde a nossa nave não precisa pousar.

Há muitas luas alternativas onde a gente pode ficar muito vivo depois dos 70. Chego lá… (RENATO RIELLA)

abr 18

MAIOR DESÂNIMO NO BRASIL É VER QUE O QUADRO PARTIDÁRIO NÃO VAI MUDAR

levy_fidelix

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Levy Fidelix

 

 

 

 

Tive longa conversa com um jovem (menos de 40 anos), muito bem preparado, sobre o Brasil. Expliquei a ele que a minha geração fracassou porque deixou pessoas inescrupulosas tomarem conta de quase todos os 30 partidos do país. Agora, mesmo com este tsunami político, é impossível garantir candidatos razoáveis para 2018.

O tal jovem confirmou minha impressão. Demonstrou que ele e todos os seus semelhantes não sabem nada sobre partido político. Não conhecem o perfil de nenhuma agremiação, não sabem como se filiar, nem têm endereço de qualquer partido e, consequentemente, nunca conseguirão mudar este quadro.

Saí da conversa consciente de que a grande armadilha que o Brasil caiu vem do ambiente partidário, nas mãos de Jucá, Aécio, Lupi, Lula ou este povo do PP, que nem sabemos o nome.

Fiquei matutando sobre o assunto. De repente, ontem, liguei a TV por raros minutos. E quem me aparece, quem me aparece, meu Deus?

Na tela aberta apareceu um cara muitíssimo feio, de enorme bigode pintado de preto, careca brilhante, chamado Levy Fidelix.

Este cara horroroso é presidente há décadas de um partido nacional chamado de PRTB, com o qual faz negócios escandalosos e ninguém denuncia.

Ele não se elege a nada, nunca, embora tente ser governador ou prefeito em São Paulo, além de se candidatar sempre a presidente, com a mesma proposta: um aerotrem.

Recebe grana do Fundo Partidário, que usa de forma ditatorial, pois só ele manda no PRTB. Quando chega perto da eleição, vende o partido nos estados para quem pagar mais.

Na eleição passada, o comprador em Brasília foi Luiz Estevão, antes de ser preso, que pensava eleger uma bancada de pelo menos quatro distritais – mas não obteve êxito.

No Brasil, partido grande ou partido pequeno é tudo a mesma coisa. Trata-se de porteira fechada para coronéis antigos da política, sem chance de espaço para quem não entrou nessas agremiações há muito tempo atrás.

A primeira reforma que o Brasil precisa é a partidária, para proporcionar renovação e impedir que os mesmos grupos mandem durante as novas décadas.

Mas isso não vai acontecer. Me parece uma guerra momentaneamente perdida.

Não sei o que dizer. (RENATO RIELLA)

abr 17

ROLLEMBERG DÁ UMA DE POLÍTICO E TROCA ADMINISTRADORES

GABRIEL PONTES (BRASÍLIA CAPITAL)

Em resposta à paralisação dos trabalhos na Câmara Legislativa na semana passada, o governador Rodrigo Rollemberg começou e mexer no comando das administrações regionais.

Enquanto grande parte dos distritais se recusavam a votar projetos do Executivo alegando falta de diálogo do governador com a Polícia Civil do Distrito Federal, um grupo minoritário de parlamentares defendia o governo.

Estes ganharam créditos com Rollemberg. Veja quem são e quais as mudanças:

  • O administrador do Recanto das Emas, Fábio Ávila, vai ser substituído por Paulo Roberto Amâncio da Silva. O novo administrador tem o aval de Telma Rufino (PROS).
  • A delegada Jane Klébia deixa a gestão de Sobradinho, que passa a ser chefiada por Valter Soares Leite. Jane também assumia interinamente a gestão de Sobradinho II e Fercal, onde será substituída por Charles Magalhães Araújo. Ambas nomeações foram aprovadas pelo petista Ricardo Vale.
  • No Cruzeiro e no Sudoeste/Octogonal, sai Reginaldo Sardinha e assume Hélio dos Santos. O novo gestor foi indicado por Agaciel Maia (PR), candidato derrotado do governo à presidência da Câmara Legislativa.

Oficialmente, o governo ainda não se justificou o motivo das trocas no comando das administrações.

 

abr 17

BB DISCRIMINA O NB?

Fui na agência do Banco do Brasil aqui no Núcleo Bandeirante.
O BB é altamente discriminatório com o NB.

As máquinas tipo caixa eletrônica estão caindo aos pedaços e até sem manutenção de papel para imprimir os recibos de pagamento.

E a agência vive cheia – isto é, deve se pagar bem.

É desprezo mesmo pela população desta importante cidade, onde nasceu Brasília?

abr 17

FEVEREIRO E MARÇO COM INFLAÇÃO NEGATIVA EM BRASÍLIA

Acredite quem quiser, mas Brasília teve inflação negativa durante dois meses seguidos.

A taxa inflacionária medida pelo Ìndice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou em março uma variação negativa de 0,02%. Esse é o segundo mês consecutivo com deflação em Brasília. Em fevereiro, o número foi de -0,03%.

O número foi divulgado pela Codeplan, com dados do IBGE.

Segundo o balanço, o porcentual registrado em março no Distrito Federal foi menor do que a média nacional, que fechou o mês com 0,25%.

Os setores que apresentaram deflação foram artigos de transporte (-1,94%), comunicação (-0,49%), artigos de residência (-0,33) e alimentação e bebidas (-0,03%).

Em contrapartida, a maior alta se deu nos grupos: vestuário (1,52%), habitação (1,13%), saúde e cuidados pessoais (0,68%), despesas pessoais (0,44%) e educação (0,24%).

Os legumes subiram 9,68%, com destaque para o tomate (55,20%) e a beterraba (52,17%). Os ovos e grãos apresentaram taxa de 4,55%. As frutas subiram 2,12%.

 

abr 17

TRÊS EXPOSIÇÕES MARCAM 57 ANOS DE BRASÍLIA

Às vésperas do aniversário de Brasília, celebrado no próximo dia 21, a Câmara Legislativa do Distrito Federal expõe obras de três grandes nomes das artes plásticas.

Com a curadoria de Marco Antônio Vieira, a exposição “Poesia, Geometria, Construção” reúne trabalhos de Athos Bulcão, Francisco Galeno e Rubem Valentim, no foyer do plenário.

Visitas podem ser feitas de segunda a sexta, das 8h às 19h, de 19 de abril a 18 de maio.

A abertura da exposição será amanhã (18), às 20h, após apresentação da Orquestra Sinfônica de Brasília, no auditório da Casa.

Todos os três artistas têm renome e fama internacional e estabeleceram, de formas variadas, vínculos com a capital do Brasil.

abr 17

FORO PRIVILEGIADO, MIGRAÇÃO E UBER SÃO PROJETOS DO SENADO

Alguns temas devem movimentar a pauta de votações do Senado.

Uma das principais matérias é a Proposta de Emenda à Constituição que acaba com o foro especial por prerrogativa de função.

O texto já passou por quatro sessões de discussão no plenário do Senado, mas retornou para receber parecer da Comissão de Constituição e Justiça da Casa por ter sido apensado a uma outra PEC sobre o mesmo tema.

Há a expectativa de que a proposta seja votada na quarta-feira, após a leitura do parecer do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

No plenário, os senadores podem aprovar também o projeto de lei que trata sobre novas regras para migrantes no país. A proposta define os direitos e os deveres do migrante e do visitante no Brasil; regula a entrada e a permanência de estrangeiros; e estabelece normas de proteção ao brasileiro no exterior.

O projeto estabelece, entre outros pontos, punição para o traficante de pessoas, ao tipificar como crime a ação de quem promove a entrada ilegal de estrangeiros em território nacional ou de brasileiro em país estrangeiro.

E concede ainda anistia na forma de residência permanente aos imigrantes que, se ingressados no Brasil até 6 de julho de 2016, façam o pedido até um ano após o início de vigência da lei, independentemente da situação migratória anterior.

Outro tema aguardado para a próxima semana no Senado é o Projeto de Lei 5587/16, que trata da regulamentação de serviços de transporte remunerado individual por meio de aplicativos, como o Uber e o Cabify.

O texto aprovado na Câmara determina uma série de exigências para que esse tipo de serviço possa funcionar, incluindo uma autorização prévia das prefeituras, o que gerou polêmica e deve proporcionar mudanças no Senado.

abr 17

SERÁ QUE NADA FUNCIONA NO DF?

Sou enfático, muitas vezes exagerado, mas me surpreendo com determinados resultados.

Escrevi com entusiasmo que a Ceasa é a única coisa que funciona bem no DF e não fui contestado.

Na verdade, tive uma contestação, sendo citada a Rede Sarah – mas esta não é GDF.

Assim, ouvindo a voz do povo, concluo: além da Ceasa nada funciona no DF.

Meu Deus! Como sobrevivemos?

abr 16

DICA: ENVENENE SEU OVO DE PÁSCOA NA GELADEIRA

ovodepascoa-frutasTive um amigo que guardou
um ovo de Páscoa na geladeira.

Ele sabia que os “sócios” da casa
iam atacar de forma feroz.

Ficou só esperando o grito de raiva.
No domingo de manhã, só ouviu
o berro do cunhado:

-Quem foi o fila-da-puta que
passou pimenta no ovo de Páscoa?

Ninguém nunca soube o nome do
criminoso. (RENATO RIELLA)

abr 16

PELO MENOS UM LUGAR FUNCIONA BEM EM BRASÍLIA: A CEASA

Costumo ir à Ceasa nos sábados pela manhã. Reconheço que está funcionando bem, além de ser um lugar feliz de se conviver.

Lá a gente come pamonha ou curau de ótimo nível; pasteis legais; água de coco ou sucos; castanhas diversas para você provar; doces e biscoitos; além dos bons hortifrutigranjeiros de toda Ceasa.

Encontramos amigos e amigas que não víamos há muito tempo, num ambiente de elevada categoria.

E convivemos com gente preparada para nos atender bem, desde os guardadores de carro até a mulher que corta queijos (nos dando provas gostosas) ou a japonesa que vende pão caseiro, ou a barraca dos integrais, onde compro sal marinho verdadeiro, sem adição artificial de iodo, etc.

Para completar, um detalhe: agora deixou de ser a “Ceasa-pet”.

Isso mesmo! Diversas pessoas levavam seus cachorrinhos para passear no meio dos boxes. Lá, eles podiam fazer xixi ou cocô aqui ou ali, rosnar para quem não gostasse de cães ou mesmo atacar um coleguinha cachorro.

Basta o Parque da Cidade, que aos domingos virou um parque-pet!

De repente, vi um guarda grande abrir os braços e não deixar uma moça bem bonitinha entrar com seu cãozinho. Ela esbravejou-se, estraçalhou-se, mas não passou. Foi procurar um lugar pet de verdade nesta imensa Brasília.

Dei risada diante da cena. Depois perguntei a ele o que era aquilo.

Sisudo, disse assim: “Aqui lidamos com alimentos. Não tem sentido trazer cachorro”.

Argumentei que sempre houve gente arrastando cães, usando aquelas cordas elásticas que se enrolavam nas nossas pernas, em meio aos boxes de comida.

Com discretíssima risada, o guardão explicou: “Mas é isso mesmo. Na semana passada, um homem pisou sem querer num cachorro. Foi o maior barraco. Por isso a proibição”.

Entendi e gostei. Tudo tem sua hora e seu lugar. Fiquem sabendo que a Ceasa deixou de ser pet e parece ter agora uma boa administração. (RENATO RIELLA)

abr 16

O BRASIL VAI MELHORAR. ESTÁ ENTRANDO EM CENA UMA TURMA QUE VAI SALVAR O BRASIL

No meio de tanta notícia negativa e até constrangido com nossas últimas brincadeiras de humor negro, vou tentar dar um presente de Páscoa para vocês.

Antes, preciso contar que levei três ou quatro anos mexendo com concursos públicos. Junto com o publicitário Jorge Leite, pude fazer a transformação da empresa Obcursos para Grancursos (Gran de Granjeiro) e vivi ótima experiência nesse ambiente.

Aprendi com o professor Wilson Granjeiro uma lição de grande otimismo.

Ele me mostrou que a administração pública brasileira está sendo renovada. Breve, não teremos no poder mais gente como Geddel, Renan, Collor e muitos outros, formados no “venha a nós”.

Tive algumas discussões existenciais com Granjeiro. Ele é um ser humano entusiasmado. Me mostrou que o concurso público no Brasil tem sido tão rigoroso, que só passam pessoas com ótima formação.

Na visão do grande especialista em concurso público, isso vai mudar gradativamente a mentalidade no serviço público brasileiro.

Vi de perto como futuros servidores são formados. Com ética, aprofundamento nas legislações, relações sociais, literatura de bom nível, verbalização apropriada, noções de economia e muitos outros conceitos que nunca mais farão a gente conviver com gente como Dilma Rousseff e suas tapiocas. Xô!

Passei a observar bem. Meus três filhos, por exemplo, concursados, têm idealismo e respeito máximo com o seu ambiente de trabalho e com o mundo.

Observei outros jovens no mesmo estilo. São desapegados de ideologias, têm respeito pelos semelhantes, mostram-se mais discretos do que a minha geração e estudam sempre, evoluindo sempre, melhorando sempre.

Além disso, como Granjeiro me demonstrou, por incrível que pareça, os governantes retrógrados e desonestos investiram em carreiras que poderão, breve, levá-los para a cadeia.

Órgãos como Receita Federal, Ministério Público, Tribunal de Contas da União, Polícia Federal, Corregedoria, Procuradorias dos Estados, Justiça e muitos outros, inclusive o Senado e a Câmara Federal, têm quadros muito competentes de servidores, ainda lutando para influir mais.

Os salários ótimos praticados nesses órgãos de elite criam um perfil rigoroso, que aos poucos começa a mudar o Brasil.

Este pessoal muito bem preparado vai mandar no país.
Auditores do Tribunal de Contas da União, se convivem com ministros de origem política viciados nas piores práticas, podem no entanto antecipar questionamentos, corrigindo graves distorções na vida pública brasileira. Têm obtido ótimos resultados.

Assim, canto para vocês aquela velha música exagerada: “Não confie em ninguém com mais de 30 anos”.

Acredite, os jovens são a nossa esperança. (RENATO RIELLA)

abr 14

NA POLÍTICA DE BRASÍLIA, NÃO FICOU PEDRA SOBRE PEDRA

Não vai ficar pedra sobre pedra na política de Brasília.

Uns e outros estão comemorando, mas o certo é que o jogo está zerado pelas diversas operações policiais e pelos processos que estão estourando aqui e ali.

O eleitor vê todos os candidatos em quem votou desmoronarem, diante de denúncias que a gente já comentava abertamente nos bares.

Ou, por acaso, você não sabia que o Estádio Mané Garrincha foi um dos maiores roubos do Brasil?

Ou você não sabia que o Centro Administrativo, totalmente inútil e desnecessário, era apenas uma roubalheira?

Entre muitas outras obras.

Assim, amigos eleitores, guardem o seu voto, porque ninguém sabe quem conseguirá ser candidato em 2018 no Distrito Federal. Na verdade, o ideal seria que nem houvesse mais eleição por aqui. (RENATO RIELLA)

abr 14

PERGUNTO: COMO A ODEBRECHT CONSEGUIU PASSAR BILHÕES POR BAIXO DA SAIA DA RECEITA FEDERAL?

A Odebrecht repassou bilhões em dinheiro vivo para políticos bandidos. Felizmente as denúncias estão feitas, muitos vagabundos serão punidos, parte do dinheiro será recuperado…

Mas precisa ser feita uma pergunta: como a empresa conseguiu fazer essas operações tão volumosas sem ser descoberta?

Nos últimos anos, presto serviços de comunicação a empresas de todo porte. Nenhuma delas consegue me pagar nada sem nota fiscal. Nem ressarcimento de almoço. Nem pequenos custos de gráfica rápida. Já perdi dinheiro porque esqueci de pegar a nota fiscal certinha, com o nome e o CNPJ do cliente. Mas a Odebrecht…

Onde está o controle bancário na movimentação de fortunas? Pobre coitado que sou, tenho CPF anotado numa operação bancária de apenas R$ 5 mil. A Odebrecht jogou, de um lado para outro, milhões e bilhões, impunemente. Ninguém notou nem anotou nada!

Por que a Receita Federal não percebeu esses movimentos monumentais nas contas da Odebrecht e daqueles que receberam este dinheiro?

Melhor dizendo: para que serve a Receita Federal, além de se fantasiar de leão para nos assustar?

E assim vai.

Para os pobres mortais, fica demonstrada a falência de todas as estruturas de governo. É imperdoável a falha na fiscalização das movimentações financeiras dessas empresas bandidas.

(RENATO RIELLA)

abr 14

JUROS OFICIAIS CAEM E MELHORAM OS JUROS AO CONSUMIDOR

Os juros oficiais estão baixando e os grandes bancos começam a anunciar que os juros ao consumidor começarão a cair – mas ainda estão muito altos;

A boa notícia é que, pela quinta vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia.

Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic em 1 ponto percentual, de 12,25% ao ano para 11,25% ao ano.

Com esta redução, a Selic retorna ao nível de dezembro de 2014.

A previsão é que, ao final deste ano, esteja perto dos 8%, o que vai gerar linhas de crédito ao consumidor bastante atraentes para as compras natalinas, ajudando a recuperar o desempenho econômico do Brasil.

abr 14

A lista dos Judas ficou tão grande que não cabe num poste

abr 14

REGISTRO ÚNICO JÁ ESTÁ NAS MÃOS DO PRESIDENTE TEMER

O registro único ou documento único para todos os brasileiros, tão discutido, agora vai sair.

O presidente Michel Temer deve sancionar, em até 15 dias, o projeto de lei que criou o Documento de Identificação Nacional (DIN).

O DIN integrará o registro geral ( RG), Título de Eleitor e o Cadastro de Pessoa Física (CPF) em uma única cédula.

Com o DIN, serão dispensados outros documentos que sejam mencionados ou usados como base. Quando sancionado pelo presidente, o DIN terá validade em todos os estados brasileiros.

O documento será emitido com base na Identificação Civil Nacional (ICN), criada com objetivo de reunir informações de identificação de todos os cidadãos, para uso dos órgãos governamentais.

A nova base de dados será gerida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e integrará dados biométricos da Justiça Eleitoral, do Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc), da Central Nacional de Informações do Registro Civil, do

Conselho Nacional de Justiça, e registros biométricos das Polícias Federal e Civil.
Pelo projeto, a primeira via do documento único será emitida pela Casa da Moeda gratuitamente.

O relator do texto, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), adiantou que o presidente Michel Temer pode vetar alguns artigos do texto, por conta da falta de previsão orçamentária. Essa questão orçamentária terá de ser discutida posteriormente entre o TSE e a área econômica do governo.

Foi informado que os documentos emitidos pelas entidades de classe somente serão validados se atenderem aos requisitos de biometria e de fotografia conforme o padrão utilizado no DIN.

abr 14

TODO CENTRO ADMINISTRATIVO DE GOVERNO É UMA ROUBALHEIRA

Há anos, aqui em Brasília, era
dado como certo que o então
governador Aécio Neves recebia
fortuna pela construção do
Centro Administrativo de
Minas Gerais.

De repente, está se confirmando…
E não tem nada a ver com
dinheiro para campanha eleitoral.

Quando você perceber algum governador anunciando a construção de novo centro administrativo, pode chamar a polícia.

Na Bahia, quando ACM fez o dele, comprou todos os terrenos próximos e ficou muito rico.

Em Minas, Aécio…

Em Brasília, Agnelo…

Quem vai ser o próximo?

abr 14

CHEGA DE FALSIDADE….TODO MUNDO SEMPRE USOU FOLHA DOIS EM CAMPANHA ELEITORAL

De 1990 até hoje, já coordenei e orientei centenas de campanhas eleitorais, inclusive em outras cidades – e inclusive campanhas municipais.

Em Brasília, é melhorzinho… Mas há lugares em que vale tudo, tudo de tudo, até fazer churrasquinho da própria mãe para vender na esquina.

Na década de 90, houve campanhas que me remuneravam em dólares. Mas era dinheiro muito pequeno diante do que os “gênios” andaram recebendo nos últimos tempos.

Dito isso, tão francamente, reafirmo a frase dos Odebrecht: não se pode apontar uma campanha eleitoral no Brasil, até hoje, sem Folha Dois. (Atire rápido a primeira pedra, seu mentiroso, que tenta negar esta minha afirmação!)

É claro que a legislação fica mais rigorosa a cada ano. Pode ser que, nesta eleição de 2018, os abusos se reduzam a níveis quase invisíveis em muitas campanhas (não em todas, é claro, pois ainda há muito maluco solto por aí).

Mas é preciso relembrar a realidade vivida até hoje.

E o que é Folha Dois? Há muitos exemplos. Podemos dizer que, em campanha eleitoral, Folha Dois é um dinheiro grande ou pequeno, repassado escondido, ou por baixo da mesa, ou carregado até em carrinhos de mão, como aconteceu numa famosa campanha em Goiás, visando apoiar campanhas de candidatos diversos.

Mas Folha Dois é muito mais do que isso. Na verdade, todos os meios e todos os recursos não relatados à Justiça Eleitoral podem ser chamados de Folha Dois.

Até aquele carro velho da sua irmã, usado para visitar botecos e para distribuir santinhos de campanha, é Folha Dois. Até mesmo o celular que sua mãe lhe emprestou para usar nos três meses antes da eleição. Tudo é Folha Dois e deveria ser declarado na prestação de contas.

Mas esses exemplos citados são casos românticos, de alguém que certamente nunca se elegerá. É um candidato bobão!

Folha Dois de valor expressivo não contabilizado pode ser aquela gráfica que imprime um milhão de folhetos e tira nota de apenas dez mil. Esta nota pequena é que vai para a prestação de contas. O resto da despesa, valor maior, é pago por fora, em dinheiro vivo repassado por empresários.

Cotas de gasolina em postos eram muito comuns como Folha Dois eleitoral, mas devem cair agora, depois que houve intervenção do Estado nesse comércio em Brasília.

É comum o candidato, dono de alguma empresa, usar diversas estruturas dessa sociedade para apoiar sua campanha. Esse cara pode dizer: “É meu!” Tudo bem, mas se não estiver declarado na prestação de contas final da campanha representa irregularidade.

Portanto, garotas e garotos, não sejam ingênuos. Vivemos décadas em que as eleições eram mantidas pela ilegalidade. Mas a ilegalidade, muitas vezes, não representava dinheiro desviado de órgãos públicos.

Esta é a diferença. Existe Folha Dois bandida, oriunda de chantagem, propina e suborno.

E existe a Folha Dois que apenas representa concorrência desleal com outros candidatos, mas deve ser coibida, pois não é aceita pela atual legislação eleitoral.

A campanha futura (de 2018) terá de ser transparente, com previsão orçamentária e prestação de contas feitas por gente especializada. Chega de amadorismo e de chute.

Resumindo: a Folha Dois foi uma instituição nacional, mais forte do que o jogo-do-bicho ou do que as escolas de samba, projetos estes mantidos pela contravenção.

Esperamos que a nova legislação, vigente em 2018, moralize um pouco a disputa eleitoral.

A grande novidade é proibir a ajuda oferecida por empresas a candidatos. Pessoa jurídica não faz mais doação a nenhuma campanha. Só pessoa física, no limite proporcional da renda de cada um.

Vai dar certo? Sei lá! O Brasil é mais embaixo… (RENATO RIELLA)

abr 13

UMA VIAGEM INCRÍVEL A PARIS! NA TORRE EIFFEL, FIZ UMA SELFIE “DESENHADA”

scan0342Minha primeira viagem a Paris foi a mais fantástica que qualquer ser humano poderia fazer. Emoção total! Nada de shopping, nem tempo para Louvre, que só conheci anos depois…

Em 1986, a Aérospatiale, empresa que na época fabricava helicópteros e lançava o satélite Ariadne, convidou sete jornalistas de grandes jornais brasileiros para dez dias na França. Podíamos consumir o que quiséssemos – até champanhe de mil dólares.

Participei como editor do Correio Braziliense, que estava no auge e havia ganho o Prêmio Esso Nacional de Jornalismo, verdadeiro Oscar.

Dos companheiros de viagem, só lembro bem de dois: Ricardo Noblat, pelo Jornal do Brasil, e Antônio Martins, pelo Globo.

Fomos de primeira classe. Ficamos no luxuoso Hotel Meridien de Paris, com mil mordomias. Até lugar especial no Moulin Rouge tivemos, assistindo show de vedetes e jantando. Também visitamos a central de fabricação de satélites artificiais. Tudo emocionante!

VOOS FANTÁSTICOS DE HELICÓPTERO

Nos dez dias, realizamos cerca de 20 voos incríveis de helicóptero. Num deles, pousamos numa ilha de pedra no Mediterrâneo. Noutro, dirigindo uma aeronave de exibição, o piloto subiu muito e de repente desceu. Quase fez a gente desmaiar em manobras arriscadas.

Noblat viajou na cabine, em alguns momentos. Até “ajudou” em manobras mais simples, como copiloto. Tivemos aulas técnicas sobre este tipo de transporte aéreo e ficamos craques no assunto.

Houve de tudo. Um dia, percorremos o rio Sena pelo alto, atravessando Paris de ponta a ponta, com direito a voltinhas sobrevoando monumentos. Noutro dia, passeamos numa aeronave de guerra, daquelas que carregam até trator, à nossa disposição como brinquedo de turista-jornalista.

E aconteceram fatos engraçados. Uma noite, bem vestidos, Martins e eu sentamos no luxuoso conjunto de sofás do Meridien, esperando o grupo para sair. Nosso pessoal marcou para conhecer os “inferninhos” noturnos parisienses (espetáculos eróticos da década de 80!).

No foyer, duas elegantes mulheres de 30/40 anos, ouvindo nosso linguajar, puxaram assunto em espanhol. Lindonas, maior classe! Conversa vai, conversa vem, fizeram a proposta. Se a gente pagasse, elas seriam doce companhia para passar a noite.

Epa, prostituição de alto nível no Meridien? Muito obrigado, preferimos sair para ver sacanagem de ficção…

Fomos noutro momento a uma exposição no centro cultural George Pompidou. Que merda! Mais de uma hora na fila! De repente, passaram três garotas barulhentas com pinta de fura-fila. Noblat não resistiu:

-Essas mal-educadas parecem brasileiras!

Uma delas se voltou, raivosa, e falou com um “sutaque nurdestino da peste”:

-Somos brasileiras mesmo! E daí?

VISITA DIFÍCIL À TORRE EIFFEL

Antônio Martins e Noblat me acompanharam à Torre Eiffel. Lá, numa portinhola de madeira, uma velha francesa típica vendia os ingressos. Parecia Graça Foster, aquela engraçadinha que foi presidenta da Petrobras.

Martins tirou do bolso imensa quantidade de moedinhas para pagar as três entradas. A mulher ficou literalmente puta-da-vida. Nos xingou em francês e bateu a portinhola, recusando-se a contar o dinheiro. Fechou o guichê!

Entrei em pânico. Minha primeira vez em Paris… Preciso subir na Torre Eiffel!

Fui baianamente pelo lado do caixa e entreguei à mal-humorada, que estava de braços cruzados, uma cédula redonda, sem troco. Assunto resolvido, ingressos recebidos.

Resolvemos depois visitar a praça de Montmartre, onde artistas populares pintam retratos dos turistas. Sempre tive fama de não gastar em viagem. Sou zero em consumismo. Meus companheiros, muito moleques, me obrigaram a dar francos a um jovem francês, que fez um péssimo retrato meu (fiquei bonito demais!).

Disse para os jornalistas gaiatos: “Desenho melhor do que este cara”. Claro que não acreditaram. De noite, no hotel, usando papel timbrado do Meridien, produzi meu retrato em frente à Torre Eifel, com caneta Bic. Melhor do que qualquer selfie atual!

No café da manhã, mostrei o desenho para alguns companheiros. Que sacanas! Propuseram me levar a Montmartre para ganhar uma graninha retratando os turistas “em frente à Torre Eiffel”… Ok! Tudo bem! Mas fica pra outra vez!

Foi assim minha estréia em Paris! Dez dias de muita felicidade, com jornalistas irreverentes e inesquecíveis, que quase nunca reencontro em Brasília. (RENATO RIELLA)

Posts mais antigos «

» Posts mais novos