«

»

out 21 2013

Leilão do campo de libra é o assunto do dia

Grande estrutura de segurança, com tropas federais e estaduais, está montada no Rio de Janeiro, para garantir o leilão do campo petrolífero de Libra, com reservas entre 8 e 12 bilhões de barris de petróleo. O pregão começa às 14h, no Hotel Windsor, na Barra, sob contestação de áreas políticas diversas, inclusive os empregados da Petrobras, que estão em greve.

A área ofertada deve render à União, a estados e municípios R$ 900 bi em royalties. Das 11 empresas credenciadas para participar do leilão, quatro são da China e as demais estão divididas entre Brasil, Japão, Colômbia, Malásia, França, Índia, e uma Anglo-holandesa.

O Campo de Libra localiza-se no lado fluminense da Bacia de Santos, em área superior a 1.500 km².

O pregão é a primeira rodada de licitações do Pré-Sal, que tem potencial de óleo recuperável de até 12 bilhões de barris por ano.

Também demandará de 12 a 18 plataformas, e de 60 a 90 barcos de apoio, com investimento aproximado de US$ 180 bi (R$ 390,4 bi).

Os petroleiros são contra por considerar que se trata de uma quase privatização do petróleo nacional, porque a Petrobras ficará só com 30% do óleo extraído.

As recentes denúncias de espionagem feitas pelo governo norte-americano à estatal colocaram ainda mais lenha na fogueira. Movimentos sindicais afirmam que o país está ‘entregando seu ouro negro à especulação internacional’.

Os black blocs já confirmaram presença na manifestação organizada por entidades sindicais contra o leilão de Libra. Para o secretário-geral do Sindicato dos Petroleiros do Rio (Sindipetro-Rio), Emanuel Cancella, eles são “muito bem-vindos”. O dirigente afirmou que todos os brasileiros que defendem a soberania nacional podem e devem participar do ato.

Na página dos mascarados na rede social, a chamada para o evento conta com 6.600 pessoas confirmadas. Eles pretendem fazer duas manifestações, às 10h e às 17h.

O governo tem conseguido superar dezenas de ações na Justiça contra essa terceirização da exploração de petróleo, mas até a hora final essa questão ainda estará em discussão. No final do dia saberemos como tudo terminou.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*