«

»

abr 21

PASSO A VOCÊS UMA AULA (PRIMEIRA LIÇÃO) SOBRE O QUE É “BALEIA AZUL”

17afe-false-killer-whaleTomei uma aula de Baleia Azul. Entrevistei secretamente um expert de 23 anos.

Há tempos ele participa de grupos semelhantes. Até já ficou escondido aqui em Brasília, quatro anos atrás, temendo que “companheiros” de diversos países viessem “buscá-lo” em casa, como ameaçaram (e isso foi antes desta Baleia).

O rapaz esperto me disse que o sistema assassino nasceu na Rússia, “onde surgem todas as maluquices”. Hoje este meu jovem informante se mostra vacinado e até dá risada quando vê os sofrimentos das atuais vítimas.

O jogo eletrônico do momento é mais grave, porque independe do jovem acessar um endereço chamado Baleia Azul na Internet.

O rapaz ou mocinha pode ser integrado num grupo deste mundo baleioso via Facebook, Twitter ou mesmo WhatsAppp. Quando percebe, já está dentro da máfia – e fica difícil sair.

O sistema Baleia Azul tem inteligência e capacidade para mergulhar nas profundidades da informação da pessoa, cruzando dados das redes sociais e da Internet de maneira geral. Vai fundo!

Dizem que hoje a Receita Federal do Brasil tem a sua baleiinha em forma de Leão… É parecido.

Na Baleia Azul, quando o jovem vê, já é escravo de um mundo não identificado, que pode vigiá-lo, chantageá-lo e até ameaçar a vida do pobre coitado.

Há milhões de pessoas em todo o mundo, agora, alimentando esta maluquice. Trabalhando de graça contra a humanidade, de olho nas vítimas.

Pessoas muito novas, sem estrutura mental, podem entrar no jogo como desafio ou mesmo envolvidas de forma sub-reptícia. O maior barato! Quando vê, virou escravo. Pensando bem, as drogas não são assim?

Pergunta sem resposta: será que gente velha entra nisso?

A Baleia Azul pode, por exemplo, captar foto comprometedora de alguém e jogar sujo com esta informação, como trunfo para dominar o ser humano fragilizado, etc.

Há dois dias, defini a Baleia Azul como “hipnotismo digital”. Deve ser algo parecido.

Meu Deus! Pessoas normais, pessoas nossas, perdem o controle da própria vida e até a preservação do corpo, por causa de uma “brincadeira”.

No jogo, podem ser exigidas provas bizarras, como ficar sem beber água, ficar sem respirar durante mais de um minuto, cortar as pernas com gilete, suicídio em conjunto, entre outras barbaridades. Envolvido, dominado, o indivíduo aceita tudo.

Baleia Azul é isso. E é tudo o mais que a tecnologia pode gerar para invadir nossa privacidade. Muito mais do que você pode imaginar.

Por exemplo, dou uma dica para hoje: bote um pedaço de fita adesiva não transparente na câmera do seu laptop (acima da tela). Caso contrário, um baleioso esperto pode estar vendo você tirando meleca do nariz enquanto digita – ou coisa pior.

A orientação de segurança – que eu não sigo – é retirar das redes sociais todas as individualidades.

Elimine das redes sociais seu endereço, nome dos pais, se possível evite o nome completo, email individual, local de trabalho ou escola, fragilidades emocionais, relações amorosas, etc.

Diante de tudo isso, gerou-se um pânico. Certamente, o medo atual vai servir para redefinir o uso individual do Face, Twitter, WhatApp, etc.

É uma epidemia. Até que surja uma vacina, muitos “inocentes” vão morrer.

Fiquem de olhos nos seus meninos e meninas.  (RENATO RIELLA)

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*